Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Hulk diz que irá agarrar chance na seleção 'com unhas e dentes'

Atacante do Zenit estará à disposição para amistosos neste mês

Estadão Conteúdo

01 de setembro de 2015 | 17h17

Foram quase 14 meses sem vestir a camisa da seleção brasileira, mas Hulk está de volta. Titular na fracassada campanha do Brasil na Copa do Mundo do ano passado, o atacante chegou a receber uma chance com Dunga, em setembro do ano passado, mas acabou cortado por uma suposta lesão. Depois, não foi mais chamado. Agora, volta para os confrontos diante de Costa Rica e Estado Unidos.

"Fiquei muito feliz por voltar a vestir a camisa da seleção. Passei pouco mais de um ano sem vestir, estava com saudade desse ambiente maravilhoso. E agora aproveitar essa oportunidade que o Dunga me deu para agarrar com unhas e dentes, respeitando os companheiros que estão disputando vaga. Com certeza teria uma nova oportunidade e essa nova oportunidade chegou", disse Dunga, ao canal de vídeo da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Há um ano, Hulk chegou a ser convocado, mas precisou ser cortado por uma lesão muscular. Dunga à época, recebeu a informação de que o atacante voltou a jogar pelo seu clube, o Zenit, da Rússia, quando a seleção ainda estava reunida. O treinador, na convocação seguinte, deu a entender que ficou chateado.

Em dezembro, Hulk falou ao Estadão e disse que houve um mal entendido. "Fiz nove horas de tratamento por dia na Rússia, voltei a treinar dia 10 (de setembro) e joguei dia 13 contra o Dínamo de Moscou. Alguém passou uma informação errada para o Dunga dizendo que joguei dia 6 (a seleção jogou dias 5 e 9, contra Colômbia e Equador), e isso não é verdade", contou à época.

Agora, Hulk está à disposição de Dunga para os amistosos que a seleção fará nos Estados Unidos. No sábado, a equipe pega a Costa Rica em Nova Jersey. Depois, na terça-feira, joga diante dos Estados Unidos em Boston.

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolHulkseleção brasileira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.