Humberto Matheus/EFE
Humberto Matheus/EFE

De volta a torneio internacional, Chapecoense faz jogo de estreantes na Venezuela

Time catarinense enfrenta o modesto Zulia, em Maracaibo

Felipe Rosa Mendes, O Estado de S.Paulo

07 de março de 2017 | 07h34

Três meses depois do acidente que marcou a história da Chapecoense, na busca pelo título da Copa Sul-Americana, o time catarinense voltará a disputar uma partida internacional oficial na noite desta terça-feira, em Maracaibo, às 21h45 (horário de Brasília), na partida que vai abrir o Grupo 7 da Copa Libertadores. Ainda abatido pelas duras perdas da tragédia, a Chapecoense não sonha alto, mas projeta fazer bonito em sua primeira vez na principal competição do continente.

Para tanto, terá de superar o Zulia, rival mais modesto da chave, que tem ainda o Lanús, da Argentina, e o Nacional, do Uruguai. Assim como a Chapecoense, o Zulia faz sua estreia na Libertadores. Um tropeço nesta terça deve reduzir bastante as chances do time catarinense de se classificar para a fase de mata-mata.

Ciente disso, o técnico Vagner Mancini poupou os titulares na vitória sobre o Criciúma, por 2 a 0, no sábado, na última rodada do primeiro turno do Campeonato Catarinense. Com isso, os titulares ganharam uma "folga" extra para encarar uma dura viagem até Maracaibo. Foram quase 30 horas de transporte, desde a saída de Chapecó no sábado, passando por duas conexões, até a chegada à cidade venezuelana, na madrugada desta segunda.

Mancini ainda não conta com todos os inscritos do time neste primeiro jogo na Libertadores. Alguns permaneceram em Santa Catarina, casos de Alan Ruschel e Neto, dois dos sobreviventes do acidente aéreo que matou 71 pessoas, no fim de novembro, na Colômbia. Ainda não há prazo certo para a dupla voltar aos gramados. Mas ambos foram incluídos na lista de inscritos da Chapecoense na competição.

Para esta aguardada estreia na Libertadores, Vagner Mancini terá ao menos uma baixa. O volante Amaral foi submetido a uma cirurgia no joelho e ficará afastado da equipe por cerca de seis meses. Seu substituto deve ser Luiz Antônio, que vem agradando ao treinador por atuar em diferentes posições, tanto no meio-campo como na lateral. Nesta terça, ele deve ser titular como primeiro volante.

No embalo do título simbólico da Sul-Americana, cujo segundo jogo não pôde ser disputado em razão do acidente aéreo, a Chapecoense deve entrar em campo nesta terça escalada com Artur; João Pedro, Fabrício Bruno, Nathan e Reinaldo; Luiz Antônio, Andrei Girotto e Dodô; Arthur, Wellington Paulista e Niltinho.

E a Chapecoense terá pela frente um um adversário que entrará em campo cheio de motivação para estrear com vitória em sua primeira Libertadores.

"Estou muito feliz pela estreia, pessoalmente. E feliz pelo Zulia, que também terá sua primeira Libertadores. O time está preparado e bastante motivado para este compromisso", disse o meia Juan Arango, ex-capitão e máximo artilheiro da história da seleção venezuelana, que é a grande referência da modesta equipe.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolChapecoenseLibertadores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.