De volta ao Brasil, Ricardo Oliveira revela sondagem do Palmeiras

De volta ao Brasil, Ricardo Oliveira revela sondagem do Palmeiras

Atacante decide retornar ao futebol brasileiro e admite ter sido procurado por representantes do clube paulista, mas nega oferta

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

19 de dezembro de 2014 | 15h20

O atacante Ricardo Oliveira, de 34 anos, está no mercado. O jogador resolveu, após cinco anos atuando no futebol dos Emirados Árabes, voltar ao futebol brasileiro. Admite que recentemente foi procurado por diversos clubes do País e que tem negociações adiantadas com um clube da Série A do Brasileiro. Ricardo Oliveira confirma ter sido sondado pelo Palmeiras, mas assegura que não tem negociações no momento com o clube paulista.

"Fiquei muito animado, mas foi apenas uma sondagem. O Palmeiras é uma potência do futebol brasileiro e a história mostra isso. Nos últimos anos, não conseguiu ter a grandeza do passado, mas sua história ninguém apaga. Claro que todos jogadores gostariam de atuar no Palmeiras e faço parte desta lista. Mas foi apenas uma sondagem para saber minha situação e não passou disso", explicou o atacante, em entrevista exclusiva ao Estado.

O jogador estava no Al Wasl, dos Emirados Árabes, e no Brasil, atuou pelo São Paulo, Santos e Portuguesa. Ricardo Oliveira ainda teve passagens por Valencia, Betis, Milan, Zaragoza e Al-Jazira. Embora tenha 34 anos, o atacante garante que ainda tem "muita lenha para queimar" e assegura que em janeiro estará em um clube brasileiro atuando em alto nível.

"Não voltei antes por causa de um planejamento familiar. Durante esse período, fui procurado por clubes brasileiros, mas eu decidi ficar por lá. Queria cumprir o meu contrato também. O momento é oportuno para voltar. O desafio de retornar agora é motivador para mim e tenho totais condições de jogar em alto nível no Brasil", assegurou.

Durante o Campeonato Brasileiro deste ano, Ricardo Oliveira chegou a conversar com o Atlético-MG e a negociação ficou bem encaminhada, mas não chegou a ser sacramentada. "Não quero falar sobre meu futuro, porque sabe como é o futebol. O 'só falta assinar' muitas vezes faz com que o negócio não ocorra. Então, assim que fechar, falo onde irei jogar. Só posso garantir que estou muito animado para voltar ao Brasil", explicou o atacante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.