De volta ao Brasil, Ricardo Oliveira vira um pastor artilheiro

De volta ao Brasil, Ricardo Oliveira vira um pastor artilheiro

Atacante decide jogar no futebol brasileiro e enquanto decide o seu futuro, dá cultos em igreja evangélica e ajuda até colegas do futebol

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

22 Dezembro 2014 | 07h03

Uma das atrações do futebol brasileiro no ano que vem será Ricardo Oliveira. O atacante, após quatro anos atuando no futebol árabe, resolveu retornar ao seu país e promete brilhar, embora tenha 34 anos e saiba que sua idade faz muita gente desconfiar que ele possa ainda fazer algo. Para ter tanta confiança em si e controle para não desistir, o jogador se apega a religião. Além de fazer gols, também faz bonito na igreja. Ele é pastor da Assembleia de Deus, Ministério Madureira, no Brás.

A fé de Ricardo Oliveira fez até com que ele abrisse uma igreja nos Emirados Árabes. Sob a batuta do pastor presidente Samuel Cassio Ferreira, o ex-artilheiro do São Paulo, Portuguesa e Santos também ajuda outros jogadores e conta, com orgulho, que muitos companheiros vão em seus cultos.

"Tem muitos amigos do futebol que frequentam nosso culto. O Thiago Ribeiro, Alex Silva, Jadson, Osvaldo, João Pedro, Betão e alguns ex-jogadores, como Edmilson e o Denilson. É legal também saber que eu posso dar uma palavra de auxílio", disse o atacante, em entrevista exclusiva ao Estado.

Como não podia deixar de ser, por diversas vezes o futebol vira assunto em seus cultos. "Tem um pastor que é corintiano e a gente sempre brinca um com o outro, dizendo que ninguém é perfeito e muitos fiéis conversam comigo e me perguntam quando eu vou jogar no time deles. Falo para o pessoal que eles me desculpem se um dia os deixei triste", contou, rindo da situação inusitada.

Revelado pela Portuguesa, ele também jogou no Santos, Valencia, Betis, São Paulo, Milan, Zaragoza, Betis, Al-Jazira e Al Wasl, onde atuava desde 2011 e resolveu que chegou a hora de retornar ao Brasil. "Não quis voltar antes por causa de um planejamento familiar. Durante esse período, fui procurado por diversos clubes, mas decidi ficar por lá. Entendo que o momento certo de voltar é agora. Estou animado e pronto para jogar em alto nível", avisou.

Ricardo garante que tem conversas com alguns clubes da Série A em especial com um, que tem negociações bem adiantadas, mas ele não dá qualquer pista. O fato é que durante o Brasileiro, ele esteve muito perto de acertar com o Atlético-MG e recebeu sondagens do Palmeiras (leia mais aqui), mas a negociação com o Alviverde não foi adiante.

Além dos gols, a carreira de Ricardo Oliveira ficou marcada também pelas diversas lesões. Ele garante que isso é coisa do passado e quem pensa que o atacante  está velho, pode se surpreender. “Sei que existe um temor de contratar um jogador de 34 anos e que estava nos Emirados. Sempre fui muito regrado e se você não se cuidar, pode ter 20 ou 30 que você não vai conseguir jogar. Quero mostrar para todos que idade não atrapalha em nada”, disse o atacante, que promete estar em um novo clube em janeiro. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.