De volta aos treinos, Guiñazu não vê a hora de jogar

Com a disputa do Mundial da África do Sul, jogadores de vários clubes que estavam de recesso aproveitaram o tempo para acompanhar as partidas entre seleções. Entre eles o capitão da Internacional, o argentino Guiñazu. Agora, com o início da intertemporada, o atleta diz que é preciso concentração.

AE, Agência Estado

22 de junho de 2010 | 16h44

"Estava vendo todos os jogos da Copa [do Mundo] durante o recesso, sem exceção. Dá muita vontade de entrar em campo. Agora é mais difícil, mas isso porque o grupo está com o foco totalmente voltado para esta importante preparação", avaliou o volante contratado em 2007 junto ao Libertad, do Paraguai.

Sobre a atuação da equipe de seu país natal, Guiñazu não poupa elogios e a aponta como a principal candidata ao título na África do Sul. "Estou gostando muito da seleção argentina. Tem um esquema de jogo bom e conta com jogadores de uma qualidade impressionante", enalteceu.

Contudo, Guiñazu vive a expectativa de voltar a atuar em uma partida oficial pelo Internacional. A próxima será o amistoso contra o atual campeão uruguaio, o Peñarol, disputado em Rivera, no Uruguai, no dia 4 de julho. "Finalmente, né? Hoje [terça-feira] já começamos a trabalhar com bola e, daqui a umas semanas, tem este confronto bom para nós. Estamos nos preparando bem para já iniciar este segundo semestre demonstrando um bom rendimento em campo", concluiu o atleta.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolInternacionalGuiñazu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.