Carlos Gregório Jr/Vasco
Carlos Gregório Jr/Vasco

De volta aos treinos, Marcelo Mattos comemora no Vasco: 'Pré-temporada especial'

Volante sofreu cinco cirurgias no joelho direito e tem recebido elogios do técnico Alberto Valentim

Redação, Estadão Conteúdo

16 Janeiro 2019 | 13h17

O Vasco já contratou oito jogadores para a temporada de 2019, mas um em especial, que faz parte do elenco há muito tempo, tem chamado a atenção nos treinos de pré-temporada, tanto no Rio de Janeiro como em Atibaia, no interior de São Paulo. Após cinco cirurgias no joelho direito e muito trabalho de recuperação, o volante Marcelo Mattos vai retornando aos poucos ao trabalho com bola e vê o período de preparação neste ano como o mais especial da sua carreira.

"Essa é minha pré-temporada mais especial. Mais especial do que o começo da carreira e todos os títulos. Aprendi a nunca desistir. Foram dois anos de muita dor. Estou muito feliz de poder fazer parte dessa pré-temporada em Atibaia com a equipe. Tem muita coisa a ser feita para chegarmos aos 100%. A galera está fisicamente bem melhor que eu. Meu papel agora é continuar o trabalho juntamente com o pessoal da fisioterapia e da preparação física para alcançar o meu objetivo que é voltar a jogar uma partida", disse o jogador.

Marcelo Mattos tem recebido muitos elogios do técnico Alberto Valentim durante os treinamentos em Atibaia. Quem vê o jogador treinando forte, dando carrinho e correndo bastante, nem imagina que ele ficou parado por conta de uma lesão durante tanto tempo.

"É uma felicidade enorme estar treinando com bola. Às vezes não treino com a equipe, mas estou trabalhando a parte física gradativamente. Não pode ser nada muito forte para não voltar a sentir. Até a parte muscular. Quando eu entro em campo vai ser sempre do mesmo jeito. São minhas características, atuar desse jeito. Espero seguir evoluindo bem e voltar a jogar o mais rápido possível", afirmou.

O volante ressalta a superação, principalmente psicológica, para voltar a jogar futebol. "Cada cirurgia que eu fazia, ganhava mais força. Quanto maior era a dificuldade, maior era a vontade de voltar a jogar futebol. Ainda não realizei esse desejo, não atuei num jogo-treino ou numa partida oficial, mas estou muito feliz com o que está acontecendo, o que estou sentindo com meu corpo e tem grandes possibilidade de eu voltar a jogar futebol", finalizou.

Mais conteúdo sobre:
Vascofutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.