Debandada de estrelas ameaça São Paulo

O São Paulo corre risco considerável de ficar sem suas estrelas em meio à disputa do Campeonato Brasileiro. Kaká, Reinaldo e Luís Fabiano, que lideraram o time na campanha do Nacional de 2002 e do Paulista deste ano, dificilmente terminarão 2003 no Morumbi. A partir do fim de maio, o mercado europeu reabrirá e os são-paulinos são nomes bastante cotados para transferências. Mesmo que a diretoria consiga reposição, a comissão técnica terá de trabalhar para reentrosar o time, que ainda participará da Copa Sul-Americana e de torneio na Coréia do Sul. Reinaldo será o primeiro a deixar o clube. O Paris Saint-Germain, dono de seus direitos, pede que o jogador se apresente em junho. O atacante, que gostaria de permanecer até pelo menos o fim do ano, já está conformado com a situação. Uma cláusula em seu contrato o libera do São Paulo em 31 de maio, um mês antes de se apresentar ao PSG. Seu companheiro de ataque, Luís Fabiano, artilheiro do time no Brasileiro e na Copa do Brasil, começa a atrair interesse de europeus. Embora nenhuma proposta oficial tenha sido feita, já houve sondagens. Na França, não é descartada a possibilidade de ele fazer companhia a Reinaldo. Os dirigentes do PSG não estão satisfeitos com Ronaldinho Gaúcho e, se receberem boa oferta, admitem liberá-lo. O são-paulino seria um dos nomes para substituí-lo. "Morar em Paris seria bom", afirmou. Luís Fabiano só não aceitaria se mudar para equipes médias do Velho Continente, como já ocorreu quando defendeu o Rennes. "Estou feliz, mas se o clube receber uma boa proposta..." Reinaldo também acha difícil a permanência do amigo no País. "Do jeito que está jogando, deve ter umas 30 propostas." A negociação de Kaká é questão de necessidade. O São Paulo precisa de dinheiro para quitar a dívida com o meia Ricardinho e pagar prêmios atrasados aos atletas. E quer aproveitar o momento de badalação do jogador para fazer caixa. Hoje, Carlos Augusto de Barros e Silva, diretor de Futebol, chegou a dizer que o empresário que conseguir vendê-lo - ou qualquer outro jogador do clube - ganhará 5% de comissão. Esse tipo de comissão, embora normal no futebol, é um fato pouco comentado por dirigentes. De acordo com o empresário Wagner Ribeiro, o meia tem grandes chances de sair. Milan e Real Madrid são os dois mais interessados e o levam se oferecerem em torno de US$ 12 milhões. "Muitos clubes manifestaram interesse por jogadores nossos, principalmente da Alemanha. Acho que essas sondagens podem se tornar propostas oficiais no meio do ano", apostou Barros e Silva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.