Decisão de Luizão deve prejudicá-lo

O pentacampeonato mundial da seleção brasileira mostrou ao mundo o goleiro Marcos, levou Ronaldo de volta ao topo e valorizou praticamente todos os heróis do título. Mas um jogador deixou a glória para se colocar numa posição complicada e dificilmente conseguirá ter a recompensa financeira que esperava, dizem especialistas. Trata-se do atacante Luizão, que, após abandonar o Grêmio, está sendo obrigado a aceitar salários bem menores do que vinha recebendo para não ficar desempregado."O que o Luizão fez com o Grêmio foi desonesto, um absurdo, e por isso, está fora do mercado brasileiro, as portas se fecharam", opinou o empresário Wagner Ribeiro. "Há vários empresários tentando encontrar algum clube na Europa para o jogador, mas está difícil, ele já foi oferecido para várias equipes da Espanha, por exemplo, e não foi aceito."O atacante não ficará parado, mas não terá o mesmo prestígio nem a recompensa de tempos passados. Esteve na Alemanha, nos últimos dias, ao lado do procurador Tiago Granado, e praticamente acertou a transferência para o Hertha Berlin, clube mediano no qual jogam os brasileiros Marcelinho Paraíba e Alex Alves. Só que seus vencimentos serão bem inferiores ao que lhe pagava o Corinthians até o início do ano. No Parque São Jorge, ganhava cerca de R$ 400 mil mensais, mas agora terá de se contentar com menos da metade desse valor.O assessor de Imprensa do clube da capital alemã, Hans-Georg Felder, confirmou que Luizão interessa ao Hertha. Embora o negócio ainda não esteja fechado, o jogador deve mesmo jogar na Alemanha na próxima temporada.Sua saída do Corinthians foi a gota d´água para que a Hicks Muse resolvesse acabar com a parceria. Os dirigentes perceberam que, com a atual legislação, é muito difícil ter o patrimônio garantido. O atacante representou prejuízo de quase US$ 10 milhões para o fundo de investimentos norte-americano. "Os contratos têm de ser cumpridos", afirmou Dick Law, ex-executivo da Hicks, que ainda não se conforma com a atitude de Luizão. Embora ninguém confirme, dirigentes da Hicks estão alertando cartolas europeus das peripécias do jogador da seleção brasileira.Seu empresário, Francisco Monteiro, o Todé, se diz revoltado com tantas críticas ao cliente. "Acabou essa onda de jogador sofrer na mão de dirigente, que só pensa no dinheiro", esbravejou. "Ele achou que deveria sair do Grêmio e saiu", prosseguiu. "O Eurico Miranda presidente do Vasco ficou lhe devendo US$ 500 mil e nunca pagou."Depois da repercussão de sua saída do Grêmio, Luizão percebeu que não tem mais espaço no futebol brasileiro, pelo menos a curto prazo, e, por isso, chegou a dizer, a amigos, que espera encerrar a carreira fora do País. O único problema porém é que não faz parte dos planos de nenhum grande clube da Europa.Tomando como base o episódio, muitos atletas fazem questão de mostrar comportamento diferente, como Ricardinho, do Corinthians, que disse não admitir deixar o clube por pagamento de multa rescisória. "Só saio se interessar também ao clube." Juninho Paulista, do Flamengo, mesmo sabendo que voltará ao futebol europeu em agosto, vem disputando, com dedicação, todas as partidas da Copa dos Campeões por sua equipe.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.