Decisão do TJD goiano surpreende STJD

Auditores do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) receberam com surpresa e ironia decisão da justiça esportiva de Goiás, que anulou um jogo entre Goiás e Vila Nova, pelo campeonato local, por causa de um gol mal anulado pelo árbitro André Luiz Castro. Três auditores do STJD, que não quiseram se identificar, sob a alegação de que poderiam julgar o caso em última instância, não se recusaram a criticar a decisão da comissão disciplinar do tribunal de Goiás. "Isso é uma loucura, mais do que um despropósito, não existe", reagiu um deles. Outro auditor lembrou que a decisão, se posta em prática, abriria um precedente muito perigoso para o futebol. "Se isso vingasse, nenhum jogo acabaria ou não chegaria ao fim com o resultado de campo valendo." Um terceiro auditor do STJD ressaltou que existem casos excepcionais que podem dar margem a uma medida tão rara como a tomada pelo TJD de Goiás. "Se o árbitro relatasse na súmula que realmente viu que o gol foi legal, mas que o anulou porque estava atemorizado, pois uma pessoa o ameaçava; aí sim configura uma situação ímpar. O que não ocorreu, com certeza, na partida citada." De acordo com um dos auditores do STJD, a legislação esportiva prevê o ?erro de direito?, que não se encaixa para Goiás x Vila Nova. Ele deu outros exemplos de como poderia ser anulada uma partida de futebol. "Se a bola sai pela linha lateral e o juiz marca pênalti, sem nenhum jogador dentro da área; ou se há provas de que o árbitro recebeu dinheiro para favorecer determinada equipe, criam-se condições para a impugnação do jogo." Goiás e Vila Nova se enfrentaram em 1º de fevereiro, em Goiânia, pelo primeiro turno do Campeonato Estadual. O Goiás venceu por 1 a 0. Antes, quando a partida estava empatada, o meia Tim, do Vila Nova, marcou de cabeça o que seria o primeiro gol do jogo. O árbitro anulou o lance, assinalando falta de Tim no goleiro Harley. Na decisão (3 votos a 2) da comissão disciplinar do TJD de Goiás, os auditores alegaram má-fé de André Luiz Castro, que acabou suspenso por 30 dias. Oeste - O STJD informou hoje que o Oeste ainda não havia entrado com recurso para tentar recuperar 12 pontos que perdeu no TJD de São Paulo por causa da escalação de jogadores supostamente em condição irregular.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.