Decisão do TJD goiano surpreende STJD

Auditores do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) receberam com surpresa e ironia decisão da justiça esportiva de Goiás, que anulou um jogo entre Goiás e Vila Nova, pelo campeonato local, por causa de um gol mal anulado pelo árbitro André Luiz Castro. Três auditores do STJD, que não quiseram se identificar, sob a alegação de que poderiam julgar o caso em última instância, não se recusaram a criticar a decisão da comissão disciplinar do tribunal de Goiás. "Isso é uma loucura, mais do que um despropósito, não existe", reagiu um deles. Outro auditor lembrou que a decisão, se posta em prática, abriria um precedente muito perigoso para o futebol. "Se isso vingasse, nenhum jogo acabaria ou não chegaria ao fim com o resultado de campo valendo." Um terceiro auditor do STJD ressaltou que existem casos excepcionais que podem dar margem a uma medida tão rara como a tomada pelo TJD de Goiás. "Se o árbitro relatasse na súmula que realmente viu que o gol foi legal, mas que o anulou porque estava atemorizado, pois uma pessoa o ameaçava; aí sim configura uma situação ímpar. O que não ocorreu, com certeza, na partida citada." De acordo com um dos auditores do STJD, a legislação esportiva prevê o ?erro de direito?, que não se encaixa para Goiás x Vila Nova. Ele deu outros exemplos de como poderia ser anulada uma partida de futebol. "Se a bola sai pela linha lateral e o juiz marca pênalti, sem nenhum jogador dentro da área; ou se há provas de que o árbitro recebeu dinheiro para favorecer determinada equipe, criam-se condições para a impugnação do jogo." Goiás e Vila Nova se enfrentaram em 1º de fevereiro, em Goiânia, pelo primeiro turno do Campeonato Estadual. O Goiás venceu por 1 a 0. Antes, quando a partida estava empatada, o meia Tim, do Vila Nova, marcou de cabeça o que seria o primeiro gol do jogo. O árbitro anulou o lance, assinalando falta de Tim no goleiro Harley. Na decisão (3 votos a 2) da comissão disciplinar do TJD de Goiás, os auditores alegaram má-fé de André Luiz Castro, que acabou suspenso por 30 dias. Oeste - O STJD informou hoje que o Oeste ainda não havia entrado com recurso para tentar recuperar 12 pontos que perdeu no TJD de São Paulo por causa da escalação de jogadores supostamente em condição irregular.

Agencia Estado,

03 de março de 2004 | 19h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.