Vítor Silva/Botafogo
Vítor Silva/Botafogo

Decisivo, Gatito exalta luta do Botafogo e diz que queria pegar mais pênaltis

Goleiro paraguaio foi decisivo ao bloquear duas cobranças na disputa por penalidades

Estadão Conteúdo

08 de abril de 2018 | 19h26

Decisivo na conquista do Campeonato Carioca com duas defesas nos pênaltis contra o Vasco, o goleiro paraguaio Gatito Fernández, que se notabilizou por ser especialista em defender penalidades, disse que queria ter pegado mais cobranças e exaltou a superação do Botafogo até conseguir a vitória no último lance da partida com o gol do zagueiro Joel Carli.

+ Zé Ricardo diz que Vasco foi ao limite, mas admite a frustração: 'Dor é grande'

+ Carli faz no último lance, Gatito pega dois pênaltis e Botafogo fatura o Carioca

+ TEMPO REAL - Confira os lances da partida

"Eu não tive informação dos batedores, mas fui feliz nas cobranças. Queria pegar mais, mas não consegui. Graças a Deus conseguimos esse título", celebrou o goleiro ainda no gramado. "Começamos de uma maneira difícil, mas conseguimos recuperar. O grupo soube passar pelas adversidades", completou.

Herói do time alvinegro na Copa Libertadores em 2017, o goleiro paraguaio manteve a média e defendeu os chutes de Werley e Henrique para dar o 21.º título estadual ao Botafogo. Com as boas atuações, ele caiu nas graças da torcida e desbancou Jefferson, ídolo botafoguense, para ser titular. O hoje reserva elogiou o companheiro.

"O Gatito está fazendo história no Botafogo, é um grande goleiro, estou feliz, é meu terceiro título Carioca", afirmou Jefferson, que reiterou no vestiário que se aposentará no final desta temporada.

Campeão pela primeira vez em sua curta carreira como técnico, Alberto Valentim destacou a vontade do elenco botafoguense em levantar a taça. "Todos estão de parabéns. Quem me acompanha diariamente, sabe que eu falei que este time queria muito esse título", falou o treinador, que reuniu todo o grupo de jogadores no vestiário para cumprir a promessa de que todos estariam juntos se o título viesse.

Perguntado sobre qual seria a sua marca no trabalho agora vitorioso do Botafogo, o treinador pontuou que procurou deixar a equipe mais organizada e compacta em campo. "Eu procurei desde início que a gente buscasse uma melhora a cada dia. Que a gente tivesse uma identidade, procurando jogar com qualidade, ser uma equipe compacta e ter uma organização. A gente não para por aqui e estamos crescendo", pontuou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.