Deco diz recusar salário para evitar 'encheção de saco'

O meia Deco, em recuperação de lesão muscular do time do Fluminense, comentou nesta sexta-feira sobre sua decisão de pedir para não receber salário. Segundo o luso-brasileiro, que ficou grande parte de sua passagem pelas Laranjeiras no estaleiro, sua atitude foi para evitar as críticas, que definiu como "encheção de saco".

AE, Agência Estado

16 de setembro de 2011 | 19h15

"No Brasil, há a sensação de que quem trabalha é ladrão. Receber bem pelo que você faz é um crime aqui. Quis fazer isso para eu poder seguir este ano sem encheção de saco", desabafou Deco.

"Se acaso tiver lesão, prefiro que não me paguem. Não acho que é o correto, já deixo bem claro. Nenhum jogador tem que fazer isso, porque não está roubando de ninguém. Fiz isso por uma questão minha, pessoal", comentou o meia ao programa Zico na Área, do Esporte Interativo.

Desde que chegou ao Tricolor, o time disputou 72 jogos, mas Deco só esteve em campo em 30 (42%) e marcou apenas dois gols. Mesmo fora de ação, ele é valorizado pelo restante do elenco como uma referência e uma liderança.

O técnico Abel Braga confirmou nesta sexta-feira o time que vai a campo contra o Bahia, domingo, em Pituaçu. Sem mistérios, Abel adiantou que Wallace e Rodrigo substituem Mariano e Diogo, suspensos. Fred, cortado da seleção brasileira por lesão, foi poupado do treino desta sexta, mas está confirmado para a partida.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFluminenseDeco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.