Deco não teme reação de portugueses

O brasileiro Deco viveu hoje seu primeiro dia como jogador da seleção de Portugal. Tranqüilo, o meia do Porto garantiu que não se sentirá deslocado nem teme ser mal recebido pelos astros Figo e Rui Costa, que há alguns dias deram entrevistas dizendo ser contra a convocação de um estrangeiro que se naturalizou português. "Não pretendo ter nenhuma conversa especial com eles sobre esse assunto e acredito que não terei problema de relacionamento com ninguém."Deco obteve a cidadania portuguesa em fevereiro. Ele é o destaque do Porto - que lidera o Campeonato Português com 13 pontos de vantagem sobre o Benfica e está nas semifinais da Copa da Uefa - e seu futebol agrada muito ao técnico Luiz Felipe Scolari.O presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Gilberto Madaíl, declarou nesta terça-feira seu apoio à decisão de Felipão de convocar Deco e também ao jogador. Ele disse que não acredita na notícia publicada por um jornal português de que os jogadores pretendiam se reunir para marcar posição contra a convocação do brasileiro. "Os jogadores da seleção são ótimas pessoas e grandes profissionais. Pelo caráter que têm, tenho certeza de que jamais rejeitariam um colega."Os atletas que falaram com a imprensa trataram de ser simpáticos ao brasileiro. "Deco será recebido como um dos nossos, porque agora é um dos nossos. Ele é um excelente jogador e sua utilização depende do treinador", disse o atacante Nuno Gomes. "Creio que minha opinião é igual à de todos os meus companheiros: o Deco é português e vem para nos ajudar. Vamos fazer tudo para que ele se sinta como se fizesse parte do grupo há bastante tempo", disse o meia Sérgio Conceição.Deco disse que vai encarar com naturalidade o fato de estrear justamente contra o Brasil. "Vai ser um pouco estranho jogar contra o país em que nasci, mas vou defender Portugal porque só eu sei o que este país significa para mim. Já sei até cantar o hino nacional."O meia brasileiro tem 25 anos e está em Portugal há seis. Foi revelado pelo Corinthians. Teve algumas chances no time principal e na metade de 97 foi negociado. Jogou dois anos no Alverca antes de ser contratado pelo Porto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.