Defensores da seleção também alertam para a bola parada

Preocupação principal do técnico Carlos Alberto Parreira no treino realizado na manhã desta terça-feira, em Königstein, os lances de bola parada também despertam a atenção dos jogadores da seleção brasileira. "Estamos aprimorando o posicionamento, e o Adriano, que é alto e tem boa impulsão, tem nos ajudado bastante na defesa quando é preciso", afirmou o zagueiro Lúcio, na chegada ao SportPark para o treino da tarde."Essas jogadas podem definir jogos, seja em faltas ou em escanteios", afirmou o capitão Cafu, praticamente repetindo as palavras de Parreira na coletiva concedida no início da tarde (pelo horário suíço): "Uma bola parada pode decidir a Copa do Mundo".Cafu elogiou Parreira por conseguir conduzir a seleção acima dos egos e méritos pessoais de cada atleta. "Ele conseguiu fazer de um conjunto de estrelas um grupo unido e competitivo. Sabemos que sozinhos não vamos ganhar essa Copa", explicou o capitão.Roberto Carlos afirmou que Croácia, adversária do Brasil na estréia, daqui a uma semana, em Berlim, deve adotar em campo a postura característica das seleções que enfrentam o Brasil. "Ela vai jogar fechada, procurando usar contra-ataques e tentando se aproveitar de jogadas de bola parada. Já sabemos disso e estamos preparados para enfrentá-los", afirmou o lateral, antes do início do segundo treino do dia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.