Defesa: a preocupação do Corinthians

A defesa corintiana promete ser a grande dor de cabeça do técnico Márcio Bittencourt nas próximas rodadas e a principal âncora para o desenvolvimento do time no Campeonato Brasileiro. Anderson, o melhor zagueiro, está indo embora para o Benfica. Sobram o questionado Betão, o ainda contundido e jamais adaptado ao clube Sebá e, por fim, Marinho, que nunca conseguiu se firmar. Os últimos dois foram contratados no início do ano, pela MSI, mas ainda não vingaram no Parque São Jorge.Não à toa o time tem a pior defesa da competição, empatado com o Paysandu, com 14 gols sofridos. Na última rodada, contra o Flamengo, os 4 a 2 a favor ofuscaram o desempenho ruim dos responsáveis em destruir as jogadas adversárias. Os cariocas só fizeram dois por absoluta incompetência de seus atacantes. E como falharam bem mais atrás, levaram 4.Os alas também são outro problema. O titular da direita, Coelho, tem dificuldades na marcação, assim como Gustavo Nery (outro galáctico trazido este ano), pelo lado esquerdo. O que justifica a constante entrada de Edson na maior parte dos jogos.O técnico já se mostrou preocupado com o setor. "Confirmando a saída de Anderson, vamos ter problemas, não só por perder um grande zagueiro, de nível de seleção, como um líder em campo." A opção imediata seria Marinho.O presidente da MSI, Kia Joorabchian, busca um atacante. Zagueiro, lateral, nem pensar. No início do ano, no começo da parceria, cogitou-se a contratação dos laterais-direitos Paulo César e Cicinho, porém as negociações não avançaram. Falou-se ainda nos zagueiros Dininho, Alex e outros nomes. Tentativas frustradas, objetivos alterados. "Nosso único foco atualmente é um homem de frente", cansou-se de repetir o diretor do fundo de investimentos, Paulo Angioni. "Estou bem mais confiante, acredito que existem boas chances de o Vágner Love ser confirmado nos próximos dias", declarou nos vestiários do Estádio Wilson de Barros, domingo.Mais problemas - Depois de se desentender com o astro Carlos Tevez m um dos treinos da equipe, Marquinhos começou a ser fritado. Sua situação ficou ainda pior após brigar em uma boate ao lado de outro corintiano, o lateral-esquerdo Fininho. Os dois foram educadamente convidados a se retirar do clube. O primeiro foi para o Atlético-MG, o segundo está prestes a ir embora. Com isso, o Corinthians perde em uma tacada só duas alternativas no banco de reservas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.