Defesa da Ponte recupera a confiança

Tão criticada no início do Campeonato Paulista a defesa da Ponte Preta vive um momento diferente. Sem perder há quatro partidas, as críticas foram deixadas de lado e os elogios são cada vez mais freqüentes. O time já soma 17 pontos e mesmo ameaçado pelo rebaixamento já acredita que o pior está passando.O maior exemplo disso é o zagueiro Rafael Santos, que foi considerado o melhor em campo no empate sem gols com o Marília na última quarta-feira. Além disso nos últimos quatro jogos, a defesa tomou apenas um gol, que saiu contra a Portuguesa Santista, há duas rodadas atrás. O saldo de gols, porém, ainda é de três negativos, porque a defesa levou 23 enquanto o ataque marcou 20 gols. "Realmente conseguimos achar o melhor entrosamento. Mas temos que manter este bom momento", alerta o técnico Oswaldo Alvarez , o Vadão.Mas quando tudo parecia caminhar bem, os problemas começam aparecer. Para o jogo com o Mogi, sábado, no Majestoso, em Campinas, o treinador não poderá contar com o zagueiro Galeano e o meia Harison, suspensos pelo terceiro amarelo. Mesmo sendo bastante criticado pela imprensa e pela torcida, o experiente Galeano participou de todos os 13 jogos do time no Paulistão. "Respondo às criticas dentro de campo", diz ele que deve ser substituído por Gustavo. No meio campo, Carlinhos e Rafael Rodrigues são as opções.O lateral direito Luciano Baiano e o volante Romeu continuam machucados e foram de cogitações.Com relação ao rebaixamento, o técnico ainda não se sente tranqüilo, sempre repreendendo seus jogadores. Segundo cálculos da diretoria, com 20 pontos o time se livra da queda, mas para Vadão, o ideal é atingir 22. "Quero chegar na última rodada tranqüilo , não quero precisando fazer contas e torcer", revelou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.