Defesa é o ponto forte da França, diz treinador

O clima é de insatisfação entre os torcedores e os críticos franceses, em razão do fraco desempenho no empate por 0 a 0 com a Suíça, na terça-feira, em Stuttgart. Para tentar a classificação, a França têm de ganhar da Coréia do Sul, dia 18, em Leipzig. Mas a estréia na Copa poderia ter sido desastrosa para os "Bleus", não fosse a boa atuação de sua defesa, melhor setor da equipe desde a preparação para o Mundial. Nos últimos sete jogos, a França sofreu apenas uma derrota (em março, para a Eslováquia) e cinco gols - menos de um por jogo. Uma preocupação a menos para o técnico Raymond Domenech. ?Mostramos coisas interessantes contra a Suíça e uma delas foi nossa boa postura defensiva?, opinou Domenech, criticado pelo estilo extremamente cauteloso com que tem armado a equipe - cinco jogadores no meio-campo. ?Escolho o sistema de jogo que me dá mais segurança?, defende-se o treinador. Se Zinedine Zidane, Thierry Henry, Franck Ribéry e Sylvain Wiltord não conseguiram vencer a defesa suíça e deixam dúvidas sobre o desempenho no duelo contra a Coréia, os zagueiros têm feito exibições seguras. ?Temos bons jogadores e procuramos fazer tudo para conquistarmos os resultados e irmos bem nesta Copa do Mundo?, comentou o zagueiro William Gallas, titular absoluto de Domenech. O entrosamento explica a boa atuação do sistema defensivo dos "Bleus". Desde o fim das Eliminatórias, o treinador vem procurando a melhor escalação para a França. Se do meio-campo para frente o time ainda não correspondeu, não há dúvidas sobre os escolhidos para a defesa. Embora o goleiro reserva Gregory Coupet esteja em boa fase, Fabien Barthez ainda tem crédito por ter sido campeão mundial em 1998: disputou seis dos últimos sete jogos. Nas laterais, Willy Sagnol e Eric Abidal podem melhorar no apoio, mas são firmes na marcação - participaram de seis e cinco jogos, respectivamente. E a dupla de zaga é ainda mais regular. Lilian Thuran foi titular desde os amistosos de preparação, em novembro, e Gallas só ficou fora de uma partida. Além deles, apenas Gael Givet, Mikael Silvestre e Jean-Alain Boumsong foram testados. Se o esquema tático da equipe é questionado pelos críticos, os jogadores defendem Raymond Domenech. ?A Suíça não nos ofereceu tanto perigo?, observou Thuran. ?Só nos deu trabalho nas bolas paradas.? O elenco francês treinou na quarta-feira, em Hameln, depois do empate diante da Suíça. Houve um jogo-treino contra uma seleção local para os que não entraram em campo na terça-feira. Pela manhã, os titulares fizeram um treino físico leve - andaram de bicicleta pelos jardins do Hotel Münchhausen, em Aerzen, onde a seleção está concentrada. O meia-atacante Florent Malouda, recuperado de uma lesão, estará de volta ao time contra a Coréia do Sul e deve entrar no lugar de Wiltord.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.