Defesa não escutou o aviso de Parreira

Não foi por falta de aviso. No intervalo do jogo, hoje, em La Paz, o técnico Carlos Alberto Parreira já alertava o setor defensivo da seleção brasileira para a principal jogada da Bolívia. ?A bola alçada é uma jogada que sempre precisa ter uma cuidado especial.? Mas não adiantou. Em quatro minutos, Castillo recebeu livre de Botero e empatou para o time da casa. Parreira considerou o resultado ?satisfatório diante das circunstâncias?. ?O jogo foi equlibrado e muito difícil. A Bolívia tem um time experiente. Eles se utilizaram muito bem de sua principal arma. A bola longa em diagonal. Assim, fizeram o seu gol.? JÚLIO CÉSAR - O treinador da seleção brasileira elogiou a atuação do goleiro Júlio César. ?Ele foi decisivo, fez defesas difíceis no início do jogo.? Quanto ao meia Alex, não teve a mesma impressão. ?Ele rende mais quando entra para fazer o elo entre o meio-de-campo e o ataque, mas é preciso armar um esquema para ele.? O empate não deixou Carlos Alberto Parreira irritado quanto às perguntas sobre os 3.600 metros de altitude de La Paz. ?Não vou falar a respeito disso. Só vou lembrar que o Equador conseguiu sua vaga para o Mundial da Alemanha jogando em Quito?, disse o treinador, referindo-se às vitórias equatorianas inclusive sobre Brasil e Argentina.

Agencia Estado,

09 de outubro de 2005 | 20h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.