Defoe já está com a Inglaterra se Rooney for cortado

A seleção da Inglaterra desembarca nesta segunda-feira na Alemanha com uma surpresa: o atacante Jermaine Defoe, do Tottenham Hotspur, que ficará com o grupo de ?stand by?, caso a estrela Wayne Rooney venha a ser cortada por motivo de lesão. Pelo regulamento da Copa, cada seleção pode mudar a inscrição de um jogador até 24 horas antes da estréia da equipe na competição - o que, para Inglaterra, acontece sábado, contra o Paraguai. O técnico Sven-Göran Eriksson já ouviu dos médicos de sua seleção que Rooney, recuperando-se de uma fratura no pé direito, não terá condições de jogar a primeira fase da Copa. Eriksson tem esperanças de usá-lo a partir das oitavas-de-final. Mas se Rooney não evoluir durante esta semana de treinos em Baden-Baden, a pacata cidade alemã encravada na Floresta Negra escolhida para hospedar a seleção inglesa, o técnico não terá outra escolha a não ser cortá-lo da delegação. ?Defoe irá conosco à Alemanha para estarmos mais seguros com relação ao que pode acontecer com Rooney?, disse Eriksson, este domingo, na Inglaterra. Na seleção inglesa, Defoe, de 23 anos, parece condenado ao posto de ?se precisar, estou aí para o que der e vier?. Na Eurocopa de 2004, ele também já havia ficado na lista de espera de Eriksson. Para o Mundial deste ano, muitos apostavam que ele seria convocado. Mas Eriksson preferiu apostar no jovem Theo Walcott, de apenas 17 anos (o mais jovem da Copa), que nunca fez um jogo sequer como profissional de seu clube, o Arsenal. Defoe, entretanto, não se sentirá um estranho no ninho na Seleção Inglesa. Muito pelo contrário. Durante as Eliminatórias, ele jogou oito das dez partidas da Inglaterra. Só o meia Frank Lampard (10 vezes), o atacante Michael Owen (9) e o goleiro Paul Robinson (9) jogaram mais que Defoe. Após um começo promissor, marcando na difícil vitória sobre a Polônia (2 a 1), logo na segunda rodada das Eliminatórias, Defoe caiu muito de produção, não só na seleção inglesa, mas também no Tottenham. Atacante revelação da Premier League na temporada 2004/2005, Defoe perdeu a posição de titular para o egípcio Mido nos últimos meses. Resultado: com Defoe no banco, o Tottenham fez sua melhor campanha no Campeonato Inglês desde 1992, terminando em quinto, perdendo a vaga na Liga dos Campeões para o arqui-rival Arsenal na última rodada. A viagem de Defoe para a Alemanha acaba com as chances de Andrew Johnson, que recentemente trocou o Crystal Palace pelo Everton, de ir ao Mundial. Johnson, atacante de força como Rooney, era o outro nome que Eriksson tinha na manga para substituir eventualmente o machucado jogador do Manchester United.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.