Deivid chega para ser o artilheiro do Santos

Uma das últimas cenas da passagem de Deivid pelo Santos, em 2001, era um dirigente pressionando o atleta para assinar um contrato com o clube. O atacante falou com seu procurador, recebeu ordem de não assinar nada e acabou indo embora. Por conta de uma brecha na documentação, ele deixou a Vila Belmiro, jogou no Corinthians, Cruzeiro e Bordeaux sem que o Santos nada recebesse por isso naquela época em que ainda havia passe. Depois de três anos, Deivid está de volta ao clube que o revelou e é a esperança de gols da torcida santista, que ainda tem saudades de Alberto e Ricardo Oliveira, já que depois deles nenhum centroavante deu certo no time.Quando Deivid saiu do Santos, os dirigentes ficaram revoltados e, pelo advogado Mário Mello, entraram com ação contra o Novo Iguaçu, time de origem do atleta e que tem laços fortes com seu procurador, e uma representação na Fifa para receber do Bordeaux os direitos federativos.Para evitar complicação maior, foi fechado na semana passado um acordo em que o Santos suspende as ações e o clube francês libera o atleta para jogar na Vila Belmiro até o final de junho do ano que vem.Deivid chegou domingo a Santos e nesta segunda-feira foi apresentado durante festa que marcou a parceria do Santos com a empresa de telefonia móvel Claro. Foi aplaudido quando chegou, numa demonstração de que não haverá reação de hostilidade por parte dos torcedores, mais interessados em ter de volta um goleador que aproveite as muitas chances de gol criadas pelo time. Ele disse que está preparado fisicamente para jogar no sábado contra o Juventude. Mas há um obstáculo: o time só volta na sexta-feira do Equador e ele não terá oportunidade de treinar junto com o grupo.Agência Estado - Como você encara essa volta ao Santos? Deivid - Estou voltando ao clube que me projetou, onde aprendi a ser homem.Infelizmente sai de uma forma que não deveria ter saído. Tanto de minha parte quanto da parte do presidente, nós não sabemos o que houve naquela época, qual foi a verdade. Mas nunca gostei de entrar em polêmica e estou feliz de voltar aonde eu não deveria ter saído daquela forma. Podia ter sido diferente, mais bonita, ganhando título, e o importante agora é que estou de volta.AE - Qual a razão da escolha do Santos para sua volta ao futebol brasileiro, depois daquela saída tumultuada? Deivid - Tive sete propostas de clubes grandes do Brasil e escolhi o Santos porque tenho uma história aqui. Vim para cá com 19 anos e joguei três anos, morei no alojamento, subi para o profissional. Acho que foi o único clube em que não ganhei título e a minha volta é importante para que eu possa conquistar título e marcar história dentro do clube.AE - O sonho de todo jogador brasileiro é jogar na Europa. Você não estava bem no Bordeaux? Deivid - Estava bem no Bordeaux, mas quando o presidente Marcelo Teixeira me fez a proposta, nem pensei duas vezes para voltar e me reconciliar, apagando o que aconteceu três anos atrás. Pensei também que o Santos é um clube muito bom e tem uma estrutura muito boa.AE - Só isso? Deivid - Teve também que o treinador que me contratou foi mandado embora e assumiu outro falando que ia contar só com jogador francês.AE - A complicação na Fifa também influiu? Deivid - Fui em que acertei com o Santos. Nós conversamos e foi a minha escolha.AE - Você está voltando a um time que não vive mais a pressão por causa dos longos anos sem conquistar títulos, como acontecia em seu tempo. Isso vai tornar as coisas mais fáceis agora? Deivid - Quando subi para o profissional, esse fato tinha um peso muito grande, o clube estava 17 anos sem conquistar um título importante e havia aquela cobrança. Até hoje converso com companheiros que jogaram naquela época e a gente ainda fala daquele título em que perdemos a semifinal para o Corinthians. Se tivéssemos ganho, sairia o peso. O importante é que o Santos conseguiu ganhar um título brasileiro e o peso saiu.AE - Você se considerava em dívida com o clube? Deivid - Já disse que nem pensei duas vezes para voltar ao Santos porque não foi justa a forma que eu sai. Faltou um pouco de diálogo e hoje estou mais maduro. A vida está aí para você apanhar e aprender e eu aprendi bastante.AE - A torcida espera um matador desde a saída de Ricardo Oliveira há quase um ano. Você é esse homem? Deivid - Venho para ajudar a equipe a conquistar vitória e títulos e sei que o jogador só deixa sua marca no clube quando conquista títulos e esse é o meu objetivo.AE - O time vem sendo pressionado por conta de maus resultados. Você está preparado para isso? Deivid - Estou. O jogador vive de pressão e vou tentar fazer aquilo que sei fazer, os gols.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.