Deivid entre os gols e os passes

O atacante Deivid está perdendo a disputa pela artilharia do Santos na temporada com Robinho, mas isso não o preocupa. "O atacante vive de gols, mas não é só isso", disse ele, referindo-se aos dois passes que redundaram nos gols da vitória do Santos sábado passado, contra o Atlético-PR. "A disputa pela artilharia é sadia e sempre que um companheiro estiver em melhor condição, vou tocar. O time vencendo é o mais importante".Um passe como o dado no sábado para o zagueiro Halisson teve um sabor especial para Deivid. "Fico feliz quando o Robinho faz gol e o Halisson marcou o primeiro de sua carreira", disse ele, informando que às vezes não se conforma quando falam que não está fazendo gols. "Tenho minha consciência tranqüila porque sei que estou ajudando o grupo, estou sempre entrando em campo para ajudar e, de ser para marcar, vou fazer também meus gols".Depois do rachão desta terça-feira à tarde no CT Rei Pelé, em que seu time perdeu para o de Robinho, Deivid estava muito tranqüilo e brincalhão. Aliás, essa tem sido sua característica atualmente, o que pode ser um indício de que seu futuro, aparentemente incerto, já está definido.Seu contrato com o Santos vence no final de junho, quando deverá retornar ao Bordeaux, que tem a posse de seus direitos federativos, ou para algum outro clube interessado em seu futebol. "Prefiro ficar aqui no Santos, mas isso não depende de mim, depende do Bordeaux", disse.Para ele, "é difícil ficar respondendo isso à toda hora e nem sei como estão as negociações". Mas não está tão desinformado assim. Nesta terça, ele informou que o vice-presidente do time francês estará no Brasil dia 14. "O vice vai chegar ao Brasil e espero que ele possa conversar com o Marcelo Teixeira".Deivid disse que conversou com o presidente santista, que revelou sua intenção de manter o time atual até a Copa do Mundo, incluindo aí Robinho. "Ele me falou do projeto e quero continuar participando".Perguntado sobre um possível acordo em que ele permanece mais um ano na Vila Belmiro em troca de um prorrogação com o time francês, Deivid disse que não estava sabendo. Sabia apenas que voltar para o Bordeaux com o técnico atual, "que não gosta de jogadores brasileiros", não está em seus planos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.