Deivid promete mais gols contra a LDU

Na falta de melhor futebol, a pequena torcida do Santos que apareceu neste sábado à tarde na Vila Belmiro fez a festa para Deivid, que voltou ao clube depois de passar pelo Corinthians, Cruzeiro e Bordeaux (França), e mesmo sem ter feito um único treino coletivo com os novos companheiros, já foi decisivo: sofreu o pênalti, aos 41 minutos do segundo tempo, chamou para si a responsabilidade da cobrança, levando o time à vitória. "Foi muito bom marcar o gol logo na estréia", disse o atacante. "Senti confiança para cobrar o pênalti e conversei com Robinho e Diego que concordaram em me deixar bater." Apesar de ter brilhado na reestréia, Deivid não ficou satisfeito com a sua atuação e promete jogar melhor contra a LDU, na terça-feira. "Faltou um pouco de ritmo, mas no próximo jogo com certeza vou estar um pouco mais solto e vou me entender melhor com os novos companheiros." No lance em que sofreu pênalti de Jancarlos, Deivid acompanhava pelo lado esquerdo um lance iniciado por Robinho pela direita. Na finalização, o rei das pedaladas mandou a bola no travessão e na, na esquerda, encontrou Deivid. "Acreditei na bola e quando me preparava para finalizar, fui puxado", explicou o atacante, que pretendia viajar para o Rio para passar o Dia das Mães ao lado de sua mãe. "O professor Luxemburgo disse que jogador não tem domingo, Dia das Mães e nem data especial. Então vamos trabalhar para buscar a classificação na Libertadores." Elano foi vaiado no segundo tempo e saiu de campo correndo para evitar o assédio dos repórteres. Desde que voltou contundido da seleção pré-olímpica, o meia não recuperou o futebol que o transformou no jogador mais elogiado pelo ex-técnico santista Leão. No jogo de Quito, ele saiu machucado e era dúvida para enfrentar o Juventude, neste sábado, mas fez um teste e embora não estivesse inteiramente recuperado, foi para o sacrifício e não conseguiu jogar bem. Com certeza é um dos jogadores que vai merecer atenção especial de Luxemburgo, como Alex e Paulo Almeida, que terão que garantir que vão entrar em divididas. Léo gostou da orientação que recebeu de Luxemburgo antes do jogo e no intervalo. "Já deu para sentir o estilo dele. No intervalo ele conseguiu corrigir o posicionamento do time e por isso foi importante para conseguirmos a vitória e a recuperação, acabando com a nossa ´zica´ no Campeonato Brasileiro. O professor me pediu para eu ser primeiro lateral e só descer nas boas. Acho que dessa forma vou me desgastar menos." Menos entusiasmado do que o lateral, Basílio destacou a persistência da equipe. "Apesar de o time não ter jogado bem, de estar um pouco desorganizado, valeu a disposição dos jogadores, a vontade de vencer. Além disso, no segundo tempo, o meio-de-campo ficou mais agrupado e criou mais para os três atacantes."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.