Deivid sai como herói corintiano

Deivid provou nesta quarta-feira uma vez mais que o Corinthians tinha razão em travar uma briga jurídica com o Santos para contar com o seu passe. Mesmo que sua contratação tivesse sido avalizada por Vanderlei Luxemburgo, ele custou a vencer a desconfiança da torcida.Agora, não. Aos 16 minutos, colocado na ponta-esquerda, dentro da área pequena, viu a bola, que cruzava toda a área, após a cobrança de falta de Ricardinho, aproximar-se. Matou no peito e chutou com o pé direito, no canto direito de Rogério Ceni, empatando o jogo. Foi o gol que garantiu a classificação, mesmo depois com o gol de Kaká.Em dois jogos contra o São Paulo, o Corinthians fez três gols. Os três de Deivid. O segundo, no primeiro jogo, no último minuto, aproveitando-se do estourão de Fábio Luciano. Na temporada, marcou 14 gols. Dez deles na Copa do Brasil, sendo o artilheiro do time.Deivid aproveitou-se bem da decisão de Parreira em jogar com três atacantes, mudando uma filosofia tática de muitas décadas. Colocou-se como um ponta-direita, aberto e dali tem feito constantemente boas jogadas e gols. Nesta quarta-feira, por exemplo, conseguiu, além do gol, um drible espetacular sobre Gustavo Nery. Em campo, mostra-se atrevido, abusado, diferente de sua postura fora de campo, sempre muito tímido, gaguejando bastante. Algo como o herói de histórias em quadrinhos que lhe deu nome. A mãe, apaixonada pela série do Hulk, batizou o filho homenageando David Banner, o médico que se transformava no monstro verde.A timidez também foi deixada de lado quando Deivid enfrentou a diretoria do Santos, que tentava obrigá-lo a assinar um novo contrato. Resistiu e foi jogar no Corinthians. Nesta quarta-feira, ganhou até um rádio por ser o melhor em campo. "Foi muito difícil ganhar. O time deles é muito técnico e marcou bem. Dificultou muito o nosso trabalho".Com calma e humildade, apontou seus erros em campo. "Errei alguns passes, como o time todo e também um chute a gol que deveria fazer. Mas o gol saiu e me deixou feliz demais. Posso dizer que estou em um momento glorioso nessa Copa do Brasil. Os gols estão saindo mais aqui do que no Rio-São Paulo, mas isso não me incomoda. Trabalho duro todo dia nas duas competições".Deivid recomendou muito cuidado com o Brasiliense e apostou em outros grandes jogos contra o São Paulo. Antes de sair, analisou novamente o gol que fez. "Eu me coloco sempre pela direita, mas tenho liberdade para correr em todos os lados. Estava na direita e a bola veio para mim. Dei sorte e estamos na final".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.