Divulgação
Divulgação

Del Nero aumenta pressão para fazer de Caboclo seu sucessor na CBF

Presidente afastado da CBF reúne dirigentes de federações estaduais para buscar apoio a seu candidato e minar Reinaldo Carneiro Bastos

Almir Leite, O Estado de S.Paulo

08 Março 2018 | 16h37

A possibilidade de ser banido do futebol pela Fifa está levou Marco Polo Del Nero a acelerar o processo eleitoral na CBF. Mesmo afastado da presidência da entidade desde dezembro do ano passado, ele articula para lançar seu sucessor e trabalha por seu candidato preferido, o atual diretor executivo de gestão, Rogério Caboclo.

Para isso, Del Nero comandou nesta quinta-feira, em um hotel da Barra da Tijuca, no Rio, encontro com presidentes de federações das regiões norte, nordeste e centro-oeste. Na sexta, as reuniões serão com os presidentes de federações das outras regiões. O objetivo é conseguir o apoio da cartolagem à candidatura de Caboclo.

A movimentação de Del Nero tem explicação. Para poder ser candidato, o postulante à presidência precisa ter apoio de pelo menos oito federações e cinco clubes. E ele busca cooptar os dirigentes de federações estaduais para minar um possível candidato da oposição, Reinaldo Carneiro Bastos.

Presidente da Federação Paulista, Bastos recusou convite para ser um dos vices de Caboclo, que seria o único candidato, e também para chefiar a delegação da seleção brasileira na Copa da Rússia, em troca de não se candidatar ao cargo máximo da CBF. Isso fez Del Nero "correr''.

A manobra é para que Caboclo seja candidato único - uma vez que Reinaldo também precisará ter a candidatura referendada por no mínimo oito federações e cinco clubes. Assim, se Del Nero convencer os dirigentes estaduais a não apoiarem Reinaldo Bastos, ele não terá como registrar a chapa.

O dirigente paulista tem apoio de vários clubes, que torcem o nariz para Caboclo por discordarem de seus métodos de trabalho. Mas, apesar de otimista, patina para obter a preferência de oito federações.

Pelo estatuto da CBF, as eleições poderão ser marcadas a partir de um ano antes do fim do atual mandato - Del Nero, hoje substituído no comando por coronel Antonio Carlos Nunes por causa do afastamento que lhe foi imposto pela Fifa, foi eleito tomou posse em 15 de abril de 2015 para quatro anos de mandato. Assim, a eleição poderá ser marcada já no próximo mês. A ideia é que ocorra dia 16 ou 17 de abril.

Del Nero deverá ter seu futuro definido pela Comissão de Ética da Fifa nas próximas semanas. Pode ser banido do futebol, o que fará, a princípio com que Nunes termine seu mandato. Mas há a possibilidade, considera remota, de ele ter sua suspensão prorrogada. O cartola está afastado por causa das acusações de que recebeu propinas em contratos de transmissão envolvendo a CBF e a Conmebol. Ele nega.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.