JF Diorio/ Estadão
JF Diorio/ Estadão

Del Nero cobra Conmebol e pede 'rigor' em 'caso Amarilla'

'É dever da CBF proteger um clube brasileiro prejudicado', diz nota

Estadão Conteúdo

25 de junho de 2015 | 15h14

A CBF cobrou publicamente a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) nesta quinta-feira quanto ao "caso Amarilla". A entidade pediu uma "apuração rigorosa" da denúncia de que o ex-presidente da Associação do Futebol Argentino (AFA) Julio Grondona, morto em 2014, teria agido nos bastidores da Conmebol para indicar o árbitro paraguaio Carlos Amarilla para apitar a partida entre Corinthians e Boca Juniors, pelas oitavas de final da Copa Libertadores de 2013.

De acordo com gravações divulgadas no domingo pelo canal TV América, da Argentina, Grondona teria agido diretamente para escalar Amarilla naquele polêmico jogo, no qual o time brasileiro teve dois gols anulados e dois pênaltis não marcados - acabou sendo eliminado da competição naquele confronto.

Em nota, o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, cobrou a entidade sul-americana, da qual é representante junto à Fifa. "O caso é grave e precisa ser apurado. Temos um clube brasileiro que pode ter sido prejudicado e é dever da CBF defendê-lo até as últimas consequências. Temos plena confiança na Conmebol e no presidente Juan Angel Napout e temos certeza de que tudo será esclarecido", disse Del Nero, que enviou ofício à Conmebol com a cobrança.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.