Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Del Nero cogita pedir licença da CBF nos próximos dias

Presidente da entidade pode se afastar por um período de 180 dias

MARCIO DOLZAN / RIO DE JANEIRO, O Estado de S.Paulo

07 de outubro de 2015 | 18h36

São cada vez maiores os rumores de que o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, irá pedir licença do cargo. Pressionado por cartolas nacionais, da Conmebol e até mesmo da Fifa desde que parou de viajar para compromissos oficiais no exterior, Del Nero estaria disposto a se licenciar do cargo nos próximos dias e indicar um de seus vices para ocupar a presidência interinamente. Fernando Sarney, vice que representa a região norte, é o mais cotado.

A hipótese da licença de Marco Polo Del Nero surgiu no início de agosto. A CBF sempre negou com veemência essa possibilidade, mas o tema ganhou força nas últimas semanas, principalmente após as sucessivas ausências do cartola em reuniões da Fifa, o que tem irritado dirigentes no País e no exterior.

Del Nero também não tem viajado com a seleção brasileira nas partidas fora do Brasil. Ele não estará em Santiago nesta quinta-feira, quando o time de Dunga faz seu primeiro jogo pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. 

O pedido de licença que está sendo lapidado seria de até 180 dias, podendo ser prorrogado por igual período. Pelo estatuto da CBF, quando o presidente se licencia ele pode escolher seu substituto entre os cinco vices eleitos – atualmente, quatro poderiam assumir, já que José Maria Marin está preso na Suíça desde maio.

O nome mais forte para assumir a cadeira era o do deputado federal Marcus Vicente (PP-ES), vice que representa a região Centro-Oeste no mapa geográfico da entidade. Mas o dirigente perdeu força quando veio à tona no mês passado que ele havia feito uma consulta junto à Câmara para saber se poderia manter o mandato e assumir a presidência da CBF ao mesmo tempo. Apesar da resposta positiva, o vazamento da informação gerou incômodo na CBF.

Agora, quem aparece no horizonte é Fernando Sarney. O vice, que é filho do ex-presidente José Sarney, já despacha numa sala do prédio da CBF. Ele está na entidade desde 1998, quando assumiu como diretor de Relações Institucionais. Desde 2004, Sarney é vice-presidente eleito, tendo feito parte das gestões de Ricardo Teixeira, José Maria Marin e, agora, de Marco Polo Del Nero.


Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.