Del Nero defende punição a Suárez e inocenta Neymar

O presidente eleito da CBF, Marco Polo Del Nero, defende a punição contra o atacante uruguaio Luis Suárez e insiste que não se pode comparar a mordida que o artilheiro deu no zagueiro italiano Chiellini a uma falta de Neymar dando uma cotovelada em um jogador da Croácia, na abertura da Copa do Mundo, no último dia 12.

JAMIL CHADE, Agência Estado

26 de junho de 2014 | 17h34

Tanto Lugano como o presidente da Associação Uruguaia de Futebol (AUF), Wilmar Valdez, criticaram a decisão da Fifa de suspender Suárez por nove jogos e quatro meses de afastamento do futebol. Ambos alertaram que, no primeiro jogo do Brasil, Neymar recebeu um cartão amarelo por uma cotovelada contra Modric, da Croácia. Mas nenhuma ação foi tomada pelo Comitê Disciplinar da Fifa.

"Temos de respeitar a decisão", declarou Del Nero, que é o representante brasileiro dentro da Fifa. "Não vou comentar as besteiras que dizem por ai", insistiu. Para Del Nero, a cotovelada de Neymar e a mordida de Suárez não podem ser comparados. "São duas coisas totalmente diferentes", insistiu.

Rafael Salgueiro, membro do Comitê Executivo da Fifa, também rejeitou a comparação. "Uma coisa é uma cotovelada, que é um lance de jogo e até uma reação espontânea. Outra coisa é uma mordida", declarou o dirigente da Guatemala.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.