Ricardo Moraes / Reuters
Ricardo Moraes / Reuters

Del Nero diz que Maracanã não tem condições de receber jogos da seleção

Cartola menciona avaliação do departamento de competições para justificar ausência do estádio carioca nas Eliminatórias

Marcio Dolzan, Estadão Conteúdo

15 de setembro de 2017 | 13h31

Logo após o anúncio dos convocados para os dois últimos jogos da seleção brasileira nas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo, o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, comentou sobre a ausência do Maracanã como sede de jogos no qualificatório. A intenção da entidade sempre foi fazer a última partida no estádio carioca, mas optou por transferi-la para o Allianz Parque, em São Paulo, por considerar que o Maracanã não apresentava as condições adequadas.

Segundo Del Nero, o Brasil vai voltar atuar em seu estádio mais emblemático "quando estiver tudo em ordem". "Não é só nós que queremos jogar no Maracanã. O Maracanã é um estádio do Brasil. Na oportunidade certa, quando estiver tudo em ordem, nós vamos jogar. Esperamos que seja breve", disse o cartola.

"Nós queremos jogar. O estádio tem que ter condições mínimas e, se não tem, não podemos fazer jogo lá. A gente faz em estádio que está bom", insistiu o cartola. "É feita uma avaliação geral pelo nosso departamento de competições, é ele que faz essa avaliação. Ele tira lá suas avaliações e passa para nós. 'Olha, não está em condições de receber o jogo da seleção brasileira', e é isso que acontece."

Apesar de considerar que o Maracanã não tem condições de receber jogos da seleção, Del Nero não explicou por que o estádio segue recebendo partidas normalmente. A arena é usada pelo Fluminense no Brasileira e na Copa Sul-Americana. Na semana passada, também recebeu a final da Copa do Brasil e, anteriormente, a semifinal da competição nacional. Nos dois casos, o Flamengo era o mandante.

A reportagem do Estado ainda aguarda posicionamento da concessionária que administra o Maracanã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.