Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Del Nero tenta no STF evitar quebra de sigilo bancário

Presidente de CBF recorre da medida aprovada pela CPI do Futebol

O Estado de S.Paulo

26 de agosto de 2015 | 22h56

O presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar evitar a quebra de seu sigilo bancário e fiscal. A medida contra o cartola foi aprovada pela CPI do Futebol na quinta-feira passada. Diante da ação dos advogados de Del Nero, o ministro do STF Edson Fachin determinou ao presidente da CPI, o senador Romário, que apresente justificativa para a quebra do sigilo.

Romário conta com a ajuda da Advocacia Geral da União para fundamentar o pedido da quebra do sigilo. Ele tem de fazer isso hoje, pois o prazo dado por Fachin foi de 24 horas. Nesta quarta-feira, o senador Paulo Bauer (PSDB-SC) pediu a quebra do sigilo bancário e fiscal do ex-presidente da CBF, José Maria Marin, que está preso na Suíça desde 27 de maio

NADA DE VIAJAR

Del Nero não vai mesmo aos Estados Unidos acompanhar a seleção nos amistosos de setembro contra Costa Rica e a equipe da casa. Desta vez, alega uma reunião da diretoria da CBF marcada para 31 de agosto, um dia depois do embarque da delegação, para não viajar. O diretor de marketing da entidade, Gilberto Ratto, vai em seu lugar.

Apesar de dizer que pode viajar para qualquer lugar do mundo, Del Nero não arreda pé do Brasil. Na terça-feira, por exemplo, faltou a reunião da Conmebol. Mandou Fernando Sarney, filho do ex-presidente José Sarney e um dos vice-presidentes da CBF, em seu lugar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.