Del Piero quebra silêncio e se diz pronto para ser titular

Demorou 20 dias para Del Piero quebrar o silêncio, mas sua primeira entrevista coletiva - dada no início da tarde deste sábado em uma das salas de imprensa do estádio de Duisburg - foi a mais rica de todas já realizadas até agora na seleção italiana, levando-se em conta inclusive as do técnico Marcello Lippi. Ele ofereceu um vasto repertório de frases de efeito e agitou os jornalistas italianos com declarações fortes contra Fabio Capello, que foi seu técnico na Juventus nas duas últimas temporadas.Diante da pergunta sobre o motivo de só agora ter aceitado dar entrevista - não havia falado nem após os amistosos, quando todos os jogadores param para dar entrevista no trajeto entre o vestiário e o ônibus -, ele se comparou a um herói da mitologia grega. ?Tirei esse tempo para refletir. Me recolhi à minha colina e pensei em muitas coisas, como Aquiles fazia para se concentrar na preparação para uma guerra.?No caso, a guerra é a Copa do Mundo, e não a disputa com Totti por uma posição. Ele passou o tempo todo dizendo que não vê o jogador da Roma como seu rival, que os dois estão à disposição de Lippi para o que for melhor para a equipe, mas também não perdeu a chance de fazer o seu comercial: ?Estou muito bem fisicamente e me sinto com mais de 100% de condição de fazer um bom Mundial.? Del Piero deixou claro que não quer ser visto como um reserva de luxo, um jogador para ser aproveitado apenas no segundo tempo durante a competição. Essa imagem foi construída ao longo das duas últimas temporadas, quando foi mais reserva do que titular em seu clube e mesmo assim fez gols importantes. ?O fato de ter sido útil começando no banco não significa que me acostumei ao banco. Espero que se lembrem de que também já fiz muita coisa boa como titular.? Foi nesse ponto da coletiva que começaram as agulhadas em Capello.Primeiro, disse que não tem motivo para agradecer ao técnico da Juve. Depois, afirmou que seu relacionamento é melhor com Lippi. E por fim, quando um repórter lhe perguntou se Capello era o responsável por ele ter voltado a driblar, respondeu com ironia: ?Não sabia que eu era tão limitado há dois anos.? Este será o terceiro Mundial de Del Piero e ele se mostra disposto a participar do quarto, na África do Sul. ?Não tenho 32 anos como alguns escrevem. Tenho 31 e meio, e isso faz muita diferença. E pode ser que esta não seja minha última Copa.?Perguntas sobre o escândalo que agita o futebol italiano costumam incomodar os integrantes da delegação italiana na Alemanha, mas Del Piero as encarou de frente. Disse esperar que a Juve não seja rebaixada para a Série B, manifestou apoio moral a Luciano Moggi - o ex-diretor da Juventus que ?sugeria? à comissão de arbitragem os nomes que queria ver apitando jogos de seu time - e pediu para não colocaram nas costas da seleção a responsabilidade de resgatar sozinho a credibilidade do futebol no país. ?Esta Copa servirá para mostrar o caráter e a dedicação dos jogadores italianos.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.