Carl Recine / Reuters
Carl Recine / Reuters

Dele Alli é suspenso pela Fifa por gesto obsceno e desfalcará a Inglaterra

Meiocampista do Tottenham não poderá enfrentar a Eslovênia, na penúltima rodada das Eliminatórias da Copa 2018

Estadão Conteúdo

29 de setembro de 2017 | 12h04

O meio-campista Dele Alli, convocado pela Inglaterra para os dois últimos jogos das Eliminatórias Europeias para a Copa de 2018, foi suspenso por um jogo do calendário internacional pela Fifa por ter feito um gesto obsceno na vitória por 2 a 1 sobre a Eslováquia, também pelo Grupo F do qualificatório para o Mundial da Rússia, no dia 4 de setembro, em Londres.

O atleta - flagrado por câmeras de TV mostrando o dedo do meio de uma das mãos - não poderá atuar pela seleção de seu país contra a Eslovênia, na próxima quinta-feira, também no estádio de Wembley, pela nona e penúltima rodada das Eliminatórias. Uma vitória neste duelo garantirá os ingleses, que lideram a chave com 20 pontos, matematicamente na Copa do ano que vem.

Dele Alli, de 21 anos, que atua pelo Tottenham, explicou que direcionou o gesto ao colega de time Kyle Walker, que até a temporada passada jogava com ele no clube londrino. Ele foi defendido pelo técnico do selecionado inglês, Gareth Southgate. "Eles têm um modo estranho de se comunicar", disse o treinador.

De acordo com a Fifa, o seu comitê disciplinar "não está convencido de que o jogador dirigiu o gesto ao árbitro", mas considerou a atitude ofensiva e antidesportiva. O jogador também foi multado em cinco mil francos suíços (aproximadamente R$ 16,3 mil).

Após o jogo contra os eslovenos, a Inglaterra finalizará a sua participação nas Eliminatórias contra a Lituânia, fora de casa, no próximo dia 8. A Eslováquia é vice-líder da chave, com 15 pontos, seguida de Eslovênia e Escócia, com 14 cada. As três seleções lutam pelo menos pelo direito de disputar uma repescagem para chegar ao Mundial do ano que vem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.