Norberto Duarte / AFP
Norberto Duarte / AFP

Delegação do Atlético-MG é recebida sob protesto em BH após goleada no Paraguai

Clube alvinegro está praticamente eliminado da Libertadores após sofrer 4 a 1 do Cerro Porteño

Redação, Estadão Conteúdo

11 de abril de 2019 | 10h10

A delegação do Atlético-MG foi recebida no final da madrugada desta quinta-feira, por volta das 5 horas, com um protesto de cerca de 15 torcedores no setor de desembarque do Aeroporto Internacional de Confins, na região metropolitana de Belo Horizonte, após derrota de goleada por 4 a 1 para o Cerro Porteño, em Assunção, no Paraguai, na noite de quarta, pela Copa Libertadores. Os jogadores e a comissão técnica foram alvos da torcida com vaias e xingamentos.

Um dos primeiros a desembarcar, o técnico Levir Culpi foi o mais criticado pelos torcedores até a sua entrada no ônibus do clube, que depois teve uma escolta policial até a Cidade do Galo, o CT do Atlético-MG. Os jogadores passaram pelo saguão do aeroporto em seguida e também não foram poupados pelos manifestantes, que reclamaram muito da equipe.

A fila de jogadores no desembarque foi puxada pelo meio-campista equatoriano Cazares. Assim que viram os atletas, os torcedores começaram os xingamentos e as críticas: "Ou joga por amor ou joga por terror", era um dos cantos. Apenas o atacante Luan teve o nome exaltado pelo grupo.

A goleada sofrida em Assunção deixou o Atlético-MG praticamente eliminado ainda na fase de grupos da Libertadores. Para avançar, o time alvinegro precisa vencer as duas partidas que restam - Nacional, do Uruguai, e Zamora, da Venezuela -, torcer para que os uruguaios percam para o Cerro Porteño em casa e ainda tirar uma diferença no saldo, que atualmente é de seis gols.

Pela programação passada pela assessoria de imprensa do Atlético-MG, os jogadores foram liberados para um dia de descanso nesta quinta-feira. O time volta a treinar na tarde desta sexta para iniciar a preparação para o primeiro jogo da decisão do Campeonato Mineiro, que será neste domingo, às 16 horas, contra o Cruzeiro, no estádio do Mineirão.

Por ter feito melhor campanha na fase de classificação, o Atlético-MG tem a vantagem do mando de campo na segunda partida, além de jogar por dois empates ou vitória e derrota pelo mesmo saldo de gols para ficar com o título do Estadual.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.