Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Delegados da Fifa apostam em maior vigilância com Neymar na Copa

Quedas e encenações do atacante têm sido alvo de debate na entidade

Jamil Chade, enviado especial / Moscou, O Estado de S.Paulo

04 Julho 2018 | 22h36

Jogador da Copa do Mundo que mais sofreu faltas até agora, Neymar está na mira da Fifa. Ao Estado, três dirigentes do Conselho da Fifa, o órgão máximo da entidade, explicaram separadamente que o brasileiro tem sido alvo de debates. O Estado apurou que, por enquanto, os árbitros não receberam qualquer tipo de instrução específica para darem maior atenção à possíveis encenações do brasileiro.

+ Para Ronaldo, críticas a Neymar são 'conversa de boteco'

+ Matthäus espera que VAR encerre encenações de Neymar na Copa

Mas, há uma semana, membros do Comitê de Arbitragem da Fifa admitiram ao Estado e a outros veículos de imprensa brasileiros, na condição de anonimato, que havia uma instrução a não apitar ou consultar o VAR em cada falta recebida por Neymar. A justificativa: o futebol é um esporte de contato e deve ser mantido assim.

Em quatro jogos, ele foi atingido em 23 ocasiões. O número é bem superior ao volume de faltas sofridas por Messi, com 15. Os dados foram coletados oficialmente pela Fifa a partir dos relatórios do quatro primeiros jogos na Copa do Mundo.

Apenas no primeiro jogo, contra a Suíça, as dez faltas sofridas pelo brasileiro o colocaram num situação única. Nenhum jogador desde Alan Shearer, em 1998, foi alvo de tantas faltas. Naquela Copa, há 20 anos, o inglês teve onze incidentes em uma partida contra a Tunísia.

Sozinho, Neymar já sofreu mais faltas que todo o time do Egito, com 21. O craque do Paris Saint-Germain ainda concentrou praticamente metade das 59 faltas recebidas pela seleção brasileira em quatro jogos.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.