Demissão surpreende ex-técnico do Manchester City

A demissão logo após a vitória sobre o Sunderland, no sábado, surpreendeu o técnico Mark Hughes, que foi substituído no comando do Manchester City pelo italiano Roberto Mancini. Neste domingo, o ex-treinador disse que ficou decepcionado com a decisão da diretoria do clube e com a rápido anúncio de seu substituto.

AE, Agencia Estado

20 de dezembro de 2009 | 17h04

"Dada a velocidade com que o meu sucessor foi apontado, parece que o clube tomou essa decisão com alguma antecedência", declarou Hughes, em nota, ressaltando que não esperava pela demissão, apesar dos rumores. Os jornais já vinham apontando a possível queda do técnico há algumas rodadas, diante da dificuldade do Manchester City em se manter entre os primeiros colocados do Campeonato Inglês.

"Estou extremamente decepcionado por não ter tido a oportunidade de finalizar os meus projetos no clube", disse Hughes, que destacou os objetivos do time nesta temporada. "No início da temporada definirmos com a diretoria que o nosso alvo era chegar em sexto lugar, com cerca de 70 pontos na tabela. Tudo isso foi comunicado aos jogadores", revelou.

O Manchester ocupa no momento justamente a sexta colocação, com 29 pontos, 12 a menos que o líder Chelsea. "Enquanto todo mundo estava obviamente querendo mais vitórias, nós estávamos absolutamente dentro do nosso alvo quando fui demitido. Recentemente conseguimos grandes vitórias sobre Arsenal e Chelsea", reforçou Hughes.

No entanto, o triunfo de sábado foi apenas o segundo nos últimos 11 jogos - a equipe chegou a somar sete empates seguidos. Estes resultados foram lembrados pelo presidente do clube, Khaldoon Al Mubarak, para justificar a demissão.

Para o dirigente, o time tem ficado aquém do esperado, dado o investimento realizado nestas últimas duas temporadas. O clube recebeu um aporte de US$ 328 milhões (cerca de R$ 585 milhões), somando a contratação de Robinho às chegadas de Carlitos Tevez, Gareth Barry, Adebayor, Toure, Roque Santa Cruz e Joleon Lescott.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolManchester CityMark Hughes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.