Divulgação
Divulgação

Demitido após ir a jogo do São Paulo, Renan diz que Lusa deve salários

Após ir ao Morumbi, volante deixa time do Canindé

Estadão Conteúdo

12 de abril de 2016 | 19h36

Demitido da Portuguesa um dia depois de ir torcer para o São Paulo na goleada por 6 a 0 sobre o Trujillanos, na terça-feira passada, o volante Renan quebrou o silêncio. Em entrevista à TV Gazeta, veiculada nesta terça, o ex-capitão da Lusa revelou que o clube, que colocou em xeque seu profissionalismo, devia a ele cinco meses de salário.

"Eles já devem cinco meses de direito de imagem. Para eles é respeito o jogador estar com cinco meses de salário atrasado? Mesmo com os atrasos eu nunca vim a público falar isso para não colocar o torcedor contra a diretoria", alega Renan, que diz não considerar que tenha faltado com o respeito com a Portuguesa.

Renan contou que vai com regularidade ao Morumbi para torcer pelo São Paulo, clube no qual foi formado e pelo qual venceu o Mundial de 2005. Sua presença na arquibancada diante do Trujillanos, entretanto, ganhou repercussão depois de ser revelada em uma reportagem.

"No dia seguinte cheguei de manhã para treinar e o nosso gerente comunicou que eu estava afastado por ter saído a notícia que eu estava lá (no Morumbi). À tarde me ligaram para ir ao Canindé e o presidente disse que o meu salário era muito alto e que o motivo foi financeiro", explicou Renan.

Além do São Paulo, o volante atuou em clubes como Juventude, Cruzeiro, Vitória, Atlético-MG, Atlético-PR e Sport. No ano passado, ele jogou pelo São Bento no Campeonato Paulista. Depois, reforçou a Portuguesa na Série C, sendo o capitão da equipe na disputa da Série A2 do Paulista.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolRenanSão Paulo FCPortuguesa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.