Nicolas Asfouri / AFP
Nicolas Asfouri / AFP

Demitido pelo Egito após Copa, Cúper assume Usbequistão e assina até fim de 2022

Técnico foi desligado do comando da seleção africana após três derrotas na 1ª fase do Mundial da Rússia

Estadão Conteúdo

02 Agosto 2018 | 12h21

Depois de dirigir sem sucesso o Egito na Copa do Mundo da Rússia, onde a seleção do país foi eliminada na primeira fase com três derrotas em três jogos, Hector Cúper acabou sendo demitido. O período de desemprego do argentino, porém, durou pouco. Nesta quinta-feira, ele foi anunciado oficialmente como novo técnico do Usbequistão.

+ Seleção do Egito confirma Javier Aguirre como novo técnico na vaga de Cúper

+ Fifa multa Federação do Egito por partida disputada antes da Copa em data proibida

+ Cúper não acredita em aposentadoria de Salah da seleção do Egito: 'São rumores'

Em nota divulgada em seu site, a Federação Usbeque de Futebol confirmou que o treinador de 62 anos assinou acordo para dirigir até o final de 2022, quando a Copa do Mundo será realizada no Catar entre os dias 21 de novembro e 18 de dezembro.

Desta forma, Cúper chegou com a árdua missão principal de levar o Usbequistão a um Mundial pela primeira vez em sua história. A sua apresentação oficial no cargo será na próxima segunda-feira, em Tashkent, capital do país que é uma ex-república soviética e cuja entidade que controla o seu futebol é filiada à Confederação Asiática de Futebol desde 1994.

Em âmbito continental, o primeiro maior desafio de Cúper à frente da seleção usbeque será a Copa da Ásia, que começará em 5 de janeiro de 2019, nos Emirados Árabes Unidos. Na primeira fase da competição, o time enfrentará Japão, Omã e Turcomenistão. O melhor desempenho da nação neste torneio até hoje foi o quarto lugar obtido em 2011, no Catar.

O técnico argentino havia assumido o Egito anteriormente em 2015 e fez história ao classificar a seleção do país ao Mundial realizado na Rússia, onde os egípcios jogaram pela terceira vez a competição e a primeira desde 1990.

Em solo russo, porém, o time nacional decepcionou. Ainda sem o então lesionado Mohamed Salah na primeira partida, o Egito perdeu por 1 a 0 para o Uruguai. O artilheiro do Liverpool até atuou e marcou um gol de pênalti no segundo jogo, mas a seleção egípcia foi derrotada por 3 a 1 pela Rússia e depois, já eliminada da luta por uma vaga nas oitavas de final, ainda acabou sendo batida de virada pela Arábia Saudita por 2 a 1.

O desempenho abaixo do esperado foi determinante para a Associação de Futebol do Egito (EFA, na sigla em inglês) optar pela demissão do argentino após a Copa. E na última quarta-feira a entidade confirmou a contratação do mexicano Javier Aguirre, novo técnico da seleção do país africano.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.