Washington Alves/Lightpress e Cruzeiro/Divulgação
Washington Alves/Lightpress e Cruzeiro/Divulgação

Denílson pede Cruzeiro ofensivo em duelo com Botafogo

Volante vê título 'mais provável' que o do Campeonato Brasileiro

Estadão Conteúdo

31 Agosto 2016 | 17h22

Recuperado de um problema no joelho que o tirou do gramado por três meses, o volante Denílson fez a sua estreia pelo Cruzeiro na vitória sobre o Santa Cruz por 2 a 0 no último domingo, pelo Campeonato Brasileiro. O jogador entrou no segundo tempo e esteve apenas oito minutos em campo.

Agora, ele esperar conseguir uma sequência pelo time mineiro para poder brigar por uma vaga entre os titulares. A começar pelo duelo desta quinta-feira, às 20 horas, contra o Botafogo, no estádio Luso Brasileiro, no Rio, no primeiro confronto das oitavas de final da Copa do Brasil.

"Estamos em duas competições totalmente diferentes. Agora começa as oitavas, vamos com força máxima para vencer no Rio de Janeiro e depois pensar de novo no Brasileiro. A gente quer chegar longe, não apenas se manter ali. Queremos brigar pelo título, ainda tem muita coisa para rolar", comentou.

Como a situação do Cruzeiro no Brasileirão não é das melhores (é o 14.º colocado com 26 pontos), Denílson pede concentração total na Copa do Brasil, pois é a chance de o elenco levantar um troféu na temporada. Por isso, acha que o time precisa ter uma postura ofensiva no duelo fora de casa.

"São dois jogos, mata-mata, podendo ganhar o primeiro jogo e voltar ao Mineirão com vantagem boa. É um título mais provável, até a situação de se classificar para a Libertadores. Se a gente mantiver a sequência de vitórias vamos poder chegar lá", complementou o volante.

Denílson, no entanto, admitiu que ainda não está pronto para atuar os 90 minutos, mas acredita que agora, sob o comando do técnico Mano Menezes, deverá ter chances para mostrar o trabalho. "A cada dia estou melhorando, a parte física está muito melhor do que antes, logo estarei 100%. O Mano, quando chegou, deu outra cara. Está claro isso, todo mundo está vendo a crescente do time, ele é treinador que dá muito trabalho de finalização, da chegada dos meias. A chegada dele está ajudando bastante o Cruzeiro", finalizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.