Deola diz que calor de Belém atrapalhou o Palmeiras

O Palmeiras teve um adversário extra na vitória sobre o Paysandu por 2 a 1, placar que não eliminou a necessidade do confronto de volta pela segunda fase da Copa do Brasil: o clima de Belém. Para o goleiro Deola, o calor atrapalhou o desempenho do clube paulista.

AE, Agencia Estado

18 de março de 2010 | 11h35

"O clima aqui é muito difícil, até para mim, que fico mais tempo parado, imagine para os outros jogadores. Sentimos bastante o calor", garantiu o goleiro, que substitui Marcos e teve boa atuação.

Mesmo com a necessidade do confronto de volta, Deola diz que o resultado foi importante ao Palmeiras, sobretudo por ter marcado dois gols fora de casa. "Fazer dos gols aqui está de bom tamanho. Agora vamos voltar com mais tranquilidade para tentar consolidar a classificação na nossa casa".

O elenco do Palmeiras já chegou em São Paulo e treina na tarde desta quinta-feira, iniciando a preparação para a partida contra a Ponte Preta, sábado, no Palestra Itália, pelo Campeonato Paulista.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa do BrasilPalmeirasDeola

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.