Depoimento de jogador do Flamengo à polícia do Rio é adiado

Volante Luiz Antônio é acusado de presentear com um carro de luxo um dos chefes da milícia denominada de 'Liga da Justiça'

RONALD LINCOLN JR, Estadão Conteúdo

13 de agosto de 2014 | 14h46

Foi adiado o depoimento do volante Luiz Antônio, que estava previsto para acontecer na tarde desta quarta-feira no Rio. É possível que o jogador do Flamengo se apresente à Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco) na quinta. Ele e seu pai foram intimados a prestar explicações à polícia do Rio, até o fim desta semana, sobre suposta relação com um grupo de milicianos.

Investigações da Polícia Civil indicam que Luiz Antônio teria presenteado com um carro de luxo um dos chefes da milícia denominada de "Liga da Justiça", que atua na zona oeste da cidade. Dias depois, o pai do jogador, Luiz Carlos Soares, prestou queixa na 42ª DP, informando que o mesmo veículo teria sido roubado. A polícia acredita que o volante do Flamengo tentou aplicar o "golpe do seguro", que visa receber o dinheiro do carro assegurado.

Luiz Antônio foi liberado do treino na terça-feira e deve continuar fora das atividades do Flamengo enquanto não prestar depoimento e esclarecer os fatos. A determinação é do próprio treinador Vanderlei Luxemburgo. O atleta será acompanhado no caso pelo advogado do clube, Michel Assef Filho. A diretoria flamenguista já informou que espera a conclusão das investigações para se pronunciar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.