Depois da Copa do Brasil, Botafogo pensa na final do Carioca

Técnico Cuca pensa nos substitutos dos jogadores suspensos e lesionados para a partida diante do Flamengo

Leonardo Maia, Agência Estado

24 de abril de 2008 | 19h56

Mais uma vez, o Botafogo terá obstáculos extras em sua luta para conquistar um título. Como na decisão da Taça Guanabara, o técnico Cuca terá de quebrar a cabeça para armar o time que vai enfrentar o Flamengo, na primeira partida da final do Campeonato Carioca.O lateral-esquerdo Triguinho e o goleiro Castillo sofreram estiramentos musculares graves e estão oficialmente descartados, sendo dúvidas, inclusive, para o segundo jogo. O atacante Jorge Henrique e o lateral-direito Alessandro estão suspensos. "É claro que o ideal seria termos nossa força total, mas estamos muito confiantes, apesar dos desfalques", disse o volante Túlio, um dos jogadores mais experientes do elenco alvinegro. "Tenho certeza que quem entrar terá motivação extra."A questão mais crítica é o gol botafoguense. Roger tem problema crônico no ombro e não tem a confiança de Cuca. Já Renan, da seleção sub-20, tem apenas 18 anos e vem de uma partida irregular contra a Portuguesa, quando falhou no gol paulista e demonstrou nervosismo. "Ele é um moleque muito confiante, muito tranqüilo", disse o atacante Wellington Paulista. "Acho que seria ótimo ele jogar. Confiamos nele." Cuca chegou a confessar dúvida em relação a escalação do garoto, depois da vitória por 2 a 1 que classificou a equipe para as quartas-de-final da Copa do Brasil, mas o próprio Túlio deixou escapar que Renan está confirmado.Quanto às outras posições, porém, o treinador alvinegro aproveita para fazer mistério. "Em tese, entramos em desvantagem nesta primeira partida", analisou Túlio. "Mas esses desfalques podem se transformar num trunfo, ajudando a confundir a cabeça deles [no Flamengo], mudando um pouco a característica do nosso time."Para a vaga de Jorge Henrique, Fábio, autor do segundo contra a Portuguesa, é aposta certa. Na lateral-direita, o mais cotado é Túlio Souza. No lado esquerdo, Cuca pode optar pela escalação de mais um zagueiro (Eduardo ou Édson), optando para um 3-5-2 mais clássico, ou a improvisação do volante Leandro Guerreiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.