Depois da vitória, Palmeiras impõe lei do silêncio

Os jogadores do Palmeiras não puderam comentar a vitória sobre o Atlético Nacional, na Colômbia. Segundo o atacante Marcinho, eles foram instruídos a não darem entrevistas. O treinador Emerson Leão também não quis dar declarações.Em entrevista à rádio Globo, o diretor de futebol Salvador Hugo Palaia atribuiu o silêncio a uma possível resposta do elenco às críticas que vieram com as duas derrotas consecutivas no Campeonato Paulista, para Paulista e Rio Branco. "Tivemos umas críticas injustas, não construtivas, que abalaram a moral dos jogadores", comentou o dirigente.O único que "furou" o combinado foi o zagueiro Daniel, que, ironicamente, raramente concede entrevistas no dia-a-dia na Academia de Futebol. "Ressalto a cumplicidade dentro de campo com que os jogadores atuaram hoje [terça-feira]. Daqui para frente nossa atitude vai ser sempre assim", prometeu. A delegação chega a São Paulo somente nesta quinta-feira, às 8 horas da manhã, e folga pelo resto do dia. O próximo compromisso da equipe é domingo, contra o Santo André, no Estádio Bruno José Daniel, pela última rodada do Estadual.

Agencia Estado,

04 de abril de 2006 | 23h47

Tudo o que sabemos sobre:
libertadores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.