Dennis Doyle/AP
Dennis Doyle/AP

Depois de 16 anos, PSG tem chance de revanche contra o Barcelona

Equipes fizeram final da Recopa em 1997 e espanhóis levaram a melhor com gol de Ronaldo

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

10 de abril de 2013 | 08h00

SÃO PAULO - Barcelona e Paris Saint-Germain voltam a ser protagonistas de uma grande decisão depois de 16 anos. Se nesta quarta-feira os times se encontram no Camp Nou pelas quartas de final da Copa dos Campeões, em 1997 a briga foi diretamente pelo título da Recopa Europeia em um jogo repleto de velhos conhecidos. Na ocasião, os espanhóis levaram a melhor e venceram por 1 a 0. O herói foi o brasileiro Ronaldo.

A competição foi disputada entre 1961 e 1999 e reunia os vencedores das Copas nacionais de cada país. Em 1997, o Paris Saint-Germain era o atual campeão e confiava no experiente time em que os principais nomes eram os brasileiros Raí e e Leonardo - que atualmente é dirigente do clube. No banco o técnico era Ricardo Gomes - hoje diretor técnico do Vasco.

No Barcelona o grande articulador do meio-campo era o português Luis Figo, que seria eleito o melhor jogador do mundo quatro anos depois. Ao lado dele no setor estava Pep Guardiola, que fez história no clube catalão como treinador entre 2008 e 2012. No ataque o grande nome era Ronaldo e no banco de reservas estava o também brasileiro Giovanni, revelado pelo Santos, e o craque búlgaro Stoichkov, um dos artilheiros da Copa do Mundo de 1994.

A decisão foi em jogo único no estádio De Kuip, em Roterdã, na Holanda. Ronaldo cobrou o pênalti que sacramentou a vitória por 1 a 0 aos 37 minutos do primeiro tempo. Foi o quarto título do Barcelona na competição, número que faz os catalães serem os maiores campeões da história do torneio.

FICHA TÉCNICA

BARCELONA 1 x 0 PARIS SAINT-GERMAIN

14/05/1997 - Roterdã

BARCELONA: Vitor Baía; Ferrer, Abelardo, Fernando Couto e Sergi; Guardiola, Popescu (Amor), de la Peña (Stoischkov) e Figo; Luis Enrique (Pizzi) e Ronaldo. Técnico: Bobby Robson.

PSG: Lama; Fournier (Algerino), N'Gotty, Le Guen e Domi; Leroy, Guérin (Dely Valdés), Raí e Cauet; Loko (Pouget) e Leonardo. Técnico: Ricardo Gomes.

GOL: Ronaldo, aos 37 minutos do 1º tempo

Cartões amarelos: Fernando Couto, de la Peña, Fournier, Le Guen e Cauet.

Árbitro: Markus Merk (Alemanha)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.