Depois de Arouca, Mena também entra na Justiça contra o Santos

Depois de Arouca, Mena também entra na Justiça contra o Santos

Lateral chileno que despertou interesse do Cruzeiro reivindica salários atrasados e pode sair de graça

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

12 de janeiro de 2015 | 15h12

Depois de o volante Arouca entrar na Justiça para cobrar salários e direitos de imagem atrasados, o lateral-esquerdo Mena seguiu a mesma direção. Na tarde desta segunda-feira, o chileno abriu um processo trabalhista no Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo (TRT-SP) pedindo rescisão contratual por falta de pagamento de salários. A audiência está marcada para o dia 25 de março.

A diretoria santista e os agentes do lateral têm uma reunião agendada para a tarde desta segunda-feira para definir o futuro do ala. O Cruzeiro tem interesse no jogador que defendeu a seleção chilena, mas gostaria de levá-lo por empréstimo até o final da temporada. Se o lateral conseguir uma liminar justiça, o que é bastante provável uma vez que não recebeu salários nos últimos três, ele poderá ser negociado sem que o Santos receba uma compensação financeira. 

Eugenio Mena chegou ao Santos em julho de 2013, mas o clube santista concluiu o pagamento dos R$ 7,7 milhões pelos seus direitos federativos só início de 2014, um ano depois de sua chegada. O lateral teve altos e baixos até se firmar, mas na última temporada passou a sofrer a concorrência de Caju, revelado pelas categorias de base do Santos. Mena leva vantagem pela aplicação tática e experiência internaciona. Ao todo, disputou 62 jogos e não marcou nenhum gol pelo Santos. Caso saia realmente do clube, o Santos ficará apenas com Caju para a posição. Zeca também pode atuar no lado esquerdo do campo, porém, o técnico Enderson Moreira deseja utilizá-lo na direita. 

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolBrasileirãoSantos FCMena

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.