Rafael Barros| Divulgação
Rafael Barros| Divulgação

Depois de empate no clássico, Ceará demite o técnico Lisca

Após queda de desempenho clube anuncia modificações na equipe técnica

O Estado de S. Paulo

28 de março de 2016 | 12h22

O empate no clássico diante do Fortaleza no domingo e a má fase no Estadual foram suficientes para acabar com a paciência da diretoria do Ceará. Nesta segunda-feira, o clube anunciou mudanças em sua comissão técnica e decidiu pela demissão de Lisca, que estava por lá desde setembro do ano passado.

Lisca foi um dos responsáveis pela incrível arrancada do Ceará na Série B do ano passado, que impediu a queda do clube para a terceira divisão nacional. "A diretoria executiva do Ceará agradece o trabalho realizado pelo treinador e valoriza a passagem de Lisca pelo Vozão, afinal o seu aproveitamento na Série B de 2015 foi bem positivo para ajudar o clube a permanecer na Segundona", disse o clube em comunicado.

Nas últimas partidas desse ano, no entanto, Lisca vinha encontrando dificuldades e agora deixa a equipe em situação desconfortável na segunda fase do Estadual. O time cearense precisa vencer o Uniclinic na última rodada e torcer por tropeço de Guarany de Sobral ou Guarani de Juazeiro para se classificar.

Na Copa do Nordeste, no entanto, a situação é mais confortável. O Ceará se classificou para as quartas de final, na qual terá pela frente o Santa Cruz. Na partida de ida, aliás, nesta quarta-feira, o auxiliar Ademir Fesan assumirá o comando da equipe interinamente.

Além de Lisca, a diretoria do Ceará anunciou também a saída do preparador físico Felipe Celia. O presidente do clube, Robinson de Castro, convocou uma entrevista coletiva para esta tarde para explicar os motivos da demissão de Lisca e prometeu anunciar em breve seu substituto.

Tudo o que sabemos sobre:
LiscaCeará

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.