Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Depois de quase quatro meses, Neymar volta ao Barcelona em alta

Atacante conquista a medalha de ouro e liderou a seleção em duas vitórias nas Eliminatórias

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

08 de setembro de 2016 | 10h54

Depois de quase quatro meses, o atacante Neymar retornou na manhã desta quinta-feira aos treinos no Barcelona. Javier Mascherano, Samuel Umtiti, Lucas Digne e Jasper Cillessen, que também estavam com suas seleções, foram as outras novidades do treinamento no campo Tito Vilanova da Cidade Esportiva. Neymar deve estar à disposição do técnico Luis Enrique para a partida deste sábado no Camp Nou, contra o Alavés, pela terceira rodada do Campeonato Espanhol.

O último jogo de Neymar pelo time catalão foi na final da Copa do Rei, no dia 22 de maio, quando fez o segundo gol da vitória por 2 a 0 sobre o Sevilla. Depois da partida, o atacante ganhou férias e aproveitou ao máximo o período de descanso.

Em sua passagem pelos Estados Unidos, visitou Nova York, Los Angeles Las Vegas e se encontrou com diversas celebridades, entre elas, o cantor Justin Bieber e o ator norte-americano Jamie Foxx e o piloto inglês Lewis Hamilton.

No retorno aos jogos, Neymar disputou a Olimpíada, quando conquistou o ouro inédito para a seleção brasileira, teve mais alguns dias de folga e jogou mais duas partidas pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, nas vitórias contra Equador e Colômbia. Por essas razões, Neymar retorna em alta.

Segundo maior salário do clube, atrás apenas de Messi, Neymar perdeu toda a pré-temporada na qual o clube disputou quatro amistosos (Celtic, Leicester, Sampdoria e Liverpool). Também foi campeão da Supercopa da Espanha com duas vitórias contra o Sevilla e venceu também nas duas primeiras rodadas do Espanhol (6x2 sobre o Betis e 1x0 sobre o Athletic Bilbao).

No início do Campeonato Espanhol, Neymar terá de correr atrás dos companheiros Messi e Suárez. Os dois participaram da pré-temporada com o clube catalão e começaram bem o torneio espanhol. O uruguaio anotou três gols e Messi, dois.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.