Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Paulo Turra e Felipão terão desafios pelo Palmeiras nos próximos jogos Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Depois de três décadas, Scolari tem um novo auxiliar

Paulo Turra assume o lugar deixado por Flávio Murtosa

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

17 de novembro de 2018 | 17h01

Felipão está com novos escudeiros no Palmeiras. Depois de mais de 30 anos de parceria com o auxiliar Flávio Murtosa, o possível título brasileiro é fruto do trabalho junto com outro amigo de longa data, Carlos Pracidelli, e com Paulo Turra, companheiro recente na carreira.

Felipão chegou ao Palmeiras com os dois auxiliares, com quem já havia trabalhado na China. Murtosa não se juntou ao trabalho por questões pessoais. Turra e Pracidelli se apresentaram ao Palmeiras dias antes do técnico e tiveram participação importante na campanha, com orientações ao time, conselhos ao treinador e a observação dos adversários.

Pracidelli conheceu Felipão na década de 1990. O agora auxiliar era preparador de goleiros e se tornou pessoa da confiança, a ponto de estar na comissão técnica do Brasil na Copa de 2002. A parceria entre os dois continuou em outros trabalhos.

Turra conheceu Felipão durante o trabalho no Guangzhou Evergrande, da China. Assim como o técnico do Palmeiras, o auxiliar foi zagueiro e usa dessa experiência no seu cotidiano. Ele tem bastante participação na organização defensiva.

Apesar do pouco tempo de trabalho com Felipão, Turra conquistou a confiança dele. O técnico pediu para que o auxiliar recusasse uma proposta de um time chinês. “O Paulo vem fazendo um trabalho maravilhoso conosco. Futuramente ele vai estar em uma posição diferente, será um dos grandes treinadores do Brasil”, afirmou. “O Paulo tem a escola do Caxias, a escola do Sul. Nós gostamos de vencer”, descreveu Felipão. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.