Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Depois do título, Corinthians quer garantir artilharia para Jô

Atacante será o batedor de pênaltis diante do Atlético-MG; Carille diz que jogadas para o camisa 7 têm de ser naturais

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

26 Novembro 2017 | 07h00

Para manter a motivação nas duas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro, após a conquista do título, os jogadores do Corinthians traçaram uma meta: fazer de Jô o primeiro corintiano a ser artilheiro do Campeonato Brasileiro. Se houver um pênalti hoje, no jogo em que o time vai receber o troféu, diante do Atlético-MG, por exemplo, o batedor será o camisa 7. 

+ Confira a classificação do Brasileiro Série A

O desafio do técnico Fabio Carille é fazer com que essa meta seja alcançada de maneira natural, sem mudar a maneira de o time jogar. “Eu me lembro do que aconteceu com o Ronaldo, no início de sua passagem pelo Corinthians. Todos queriam passar a bola para ele e não tomavam a melhor decisão. Se acontecer um pênalti, ele (Jô) vai bater, mas as outras jogadas serão feitas naturalmente, com a referência do Jô”, diz. 

Independentemente de mais um gol do artilheiro, a festa já está programada. Começou ontem, no treino aberto à torcida com milhares de torcedores na Arena Corinthians. Os cerca de 45 mil ingressos estão esgotados desde a noite de quarta-feira. Os patrocinadores mudaram suas marcas, estampadas no uniforme, só para homenagear o campeão hoje, fazendo referências ao sétimo título.

Um mosaico será levantado nos dois andares do Setor Leste, haverá fumaça em volta do campo, tiras de plástico e fogos de artifício do lado externo do estádio. Todo o jogo será uma contagem regressiva até o momento em que Cássio erguer a taça. 

Para que a celebração seja completa, Carille quer vencer. “Queremos fazer um bom jogo para levantar a taça com uma vitória”, disse Carille, que descartou escalar atletas que não vinham atuando. 

O meia Jadson será o substituto de Romero, que está suspenso; o lateral Arana deverá fazer sua última partida antes de se transferir para o Sevilla, da Espanha. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.