Dida Sampaio/ Estadão
Dida Sampaio/ Estadão

Deputado ligado à CBF assegura que MP do Futebol irá a votação

'Está se chegando a acordo para isso', diz Vicente Cândido

MARCIO DOLZAN, Estadão Conteúdo

30 de junho de 2015 | 15h06

O deputado federal Vicente Cândido (PT-SP) disse nesta terça-feira que a votação da Medida Provisória (MP) 671, que trata do refinanciamento das dívidas fiscais dos clubes, deverá ir mesmo à votação - se não passar pelos plenários da Câmara e do Senado até o próximo dia 17, ela perde a validade. Segundo o deputado, "já está se chegando a um acordo para isso".

Na semana passada, o relatório do deputado Otávio Leite (PSDB-RJ) foi aprovado em votação relâmpago na Comissão Mista encarregada de avaliar o tema sem que fossem apreciados os 11 destaques apresentados pela chamada "Bancada da Bola", formada por parlamentares ligados a clubes e CBF. Após sucessivos adiamentos feitos por manobras regimentais, a votação acabou acontecendo porque os congressistas ligados à bancada perderam a hora. Assim os destaques só poderão ser debatidos no plenário.

"É por acordo. Se tiver apoio da maioria (serão apreciados), mas acho que não será necessário", disse Cândido. O parlamentar assegurou ainda que não há risco de a MP caducar por extrapolar o prazo previsto para ir à votação. "Dá tempo. O Renan (Calheiros, presidente do Senado) votou na semana passada um projeto em um dia", comparou.

As declarações de Vicente Cândido foram dadas quando ele saía da sede da CBF. Diretor de Assuntos Internacionais da entidade, ele garantiu que esteve no local para tratar de assuntos de sua área, e não da MP. "Tratamos só de agenda positiva. A MP não é agenda positiva. Vai ser."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.