Alexandre Vidal/Flamengo
Alexandre Vidal/Flamengo

Deputados do Rio querem premiar Jorge Jesus com medalha dada a Bolsonaro e Marielle

Proposta para entregar ao técnico do Flamengo a honraria mais alta do Estado tem textos retirados da Wikipédia

Redação, O Estado de S. Paulo

25 de setembro de 2019 | 15h49

Três deputados estaduais do Rio de Janeiro querem entregar uma honraria ao técnico Jorge Jesus, do Flamengo. Alexandre Knoploch (PSL), André Ceciliano (PT) e Rodrigo Bacellar (Solidariedade) protocolaram uma proposta para que o português receba da Assembleia Legislativa do Rio a Medalha Tiradentes, reconhecimento mais alto do Estado e entregue para quem realizou serviços públicos relevantes.

A ideia ainda precisa ser aprovada em plenário. A proposta tramita na Assembleia desde agosto. A Medalha Tiradentes foi criada em 1989 e tem entre os premiados anteriores o presidente Jair Bolsonaro, agraciado em 2016, e a vereadora do Rio Marielle Franco, que recebeu a honraria de forma póstuma no ano passado. Também constam na lista de homenageados o escritor Olavo de Carvalho, o educador Paulo Freire, o bispo Edir Macedo e o papa Bento XVI.

Na proposta protocolada para premiar Jesus, os deputados apresentaram o currículo completo do técnico do Flamengo, com a carreira dele desde os tempos de meio-campista, na década de 1970. O texto está publicado no site da Assembleia Legislativa e é idêntico à página sobre o treinador publicada pela versão em português da Wikipédia, enciclopédia virtual colaborativa.

Curiosamente, dois dos autores da proposta de premiar Jesus são de correntes políticas opostas. Knoploch é do mesmo partido do presidente Bolsonaro. Já Ceciliano preside atualmente a Assembleia e é filiado ao PT, sigla de oposição ao governo federal. 

Jesus está no Flamengo desde junho, quando assinou contrato por uma temporada. Sob o comando do treinador, a equipe atualmente lidera o Campeonato Brasileiro com sete vitórias consecutivas e está na semifinal da Copa Libertadores. O adversário no torneio continental será o Grêmio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.