Dérbi campineiro agita disputa por vaga na Série A-3

Veterano Gilmar Fubá tentará levar o Red Bull Brasil à vitória sobre o Campinas e ao acesso

André Rigue, estadao.com.br

08 Novembro 2008 | 15h59

Acostumada à rivalidade entre Ponte Preta e Guarani, a cidade de Campinas terá neste domingo um dérbi diferente. Na luta por uma vaga no Campeonato Paulista da Série A-3, Campinas e Red Bull Brasil fazem um duelo decisivo às 16 horas (com Rede Vida). O jogo, o quarto entre os times na Segunda Divisão (na prática, a quarta divisão), reunirá estilos diferentes dentro de campo.O Campinas, que joga pelo empate para terminar em segundo no Grupo 12 e garantir o acesso, tem como destaque a força do conjunto. O Red Bull, com uma das maiores folhas salariais da competição (cerca de R$ 60 mil), possuí no elenco jogadores veteranos que já fizeram sucesso em grandes clubes - o destaque é o capitão Gilmar Fubá, ex-Corinthians. CLASSIFICAÇÃO GRUPO 11 1.º - Batatais, 10 pontos 2.º - GE Osasco, 7 3.º - Guaçuano, 6 4.º - Barretos, 6 GRUPO 12 1.º - Pão de Açúcar, 9 2.º - Campinas, 8 3.º - Red Bull Brasil, 7 4.º - Américo, 4"Disputar a Segunda Divisão se mostrou uma grande novidade para mim", explica Gilmar Fubá, de 33 anos. "Encontrei cada coisa nessa divisão. A molecada que atuava pelos clubes com menor estrutura dormia embaixo da arquibancada e nem se alimentava direito. Felizmente as coisas no Red Bull são diferentes."De fato, Gilmar Fubá tem razão. O Red Bull, turbinado pelo dinheiro da multinacional de bebidas energéticas, investiu pesado em seu primeiro ano de fundação. O clube, com sede em São Paulo, treina em Vinhedo e aluga o Estádio Majestoso, da Ponte Preta, para mandar suas partidas.O treinador da equipe é Ricardo Pinto, ex-goleiro do Corinthians. Ele assumiu o clube em julho, no final da primeira fase, no lugar do tetracampeão Paulo Sérgio. "Fizeram o convite para que eu continuasse o projeto e aceitei", explica Ricardo Pinto. "Conseguimos a classificação à fase final graças às condições oferecidas pela equipe."OUTRA TENTATIVASe o Red Bull sonha com o sucesso em seu primeiro ano como profissional, o Campinas tenta mais uma vez subir de divisão em seus 10 anos de vida. Administrado pelos ex-jogadores Careca e Edmar Bernardes, o clube tradicionalmente realiza boas campanhas na Segunda Divisão, mas sempre bate na trave no momento decisivo."É uma longa luta para conseguir o acesso", desabafa Edmar. "Esperamos que esse seja, enfim, o nosso ano. Montamos um bom grupo para conseguir a vaga. O fato de jogar contra o Red Bull não é tão especial assim como as pessoas falam. Muitos consideram um clássico regional, mas não vejo assim. Eles apenas alugam um estádio aqui em Campinas." ÚLTIMA RODADA  Domingo, 9 de novembro 10 horas - GE Osasco x Batatais 10 horas - Barretos x Guaçuano 16 horas - Campinas x Red Bull 16 horas - P. Açúcar x AméricoNo retrospecto, o Red Bull leva vantagem: uma vitória e dois empates. O único triunfo foi justamente no campo do rival, o Mogiana, local do duelo deste domingo. Porém, o técnico do Campinas, Claudemir Peixoto, espera um placar diferente. "No primeiro confronto [em maio] nós ainda estávamos desentrosados. Agora o jogo é decisivo e teremos apoio da torcida."O carrasco do clássico é o atacante Cezar, do Red Bull, que já marcou três gols sobre o Campinas. E o jogador, um dos artilheiros da Segunda Divisão, espera um rendimento melhor neste domingo. "Também devemos encontrar outro jogo duro. Mas estou preparado para levar o Red Bull à Série A-3."OUTRA VAGABatatais, pelo Grupo 11, e Pão de Açúcar, pelo Grupo 12, já garantiram presença na Série A-3 em 2009. O quarto e último time que obterá o acesso também será conhecido neste domingo. Pelo Grupo 11, GE Osasco, Guaçuano e Barretos disputam a vaga. O time de Osasco é o favorito para ficar o acesso, já que recebe o já classificado Batatais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.