Derrota impede a reação do São Paulo

A festa que foi preparada para o Estádio do Morumbi teve gosto amargo. Pena para Rogério Ceni que Canindé acertou aquele chute indefensável e estragou sua festa, por atingir a marca de 617 jogos com a camisa são-paulina. "Ele pegou muito bem. Se chutar mais dez vezes, não vai acertar. Tivemos mais domínio de jogo e perdemos."Na quarta-feira, em Belo Horizonte, Rogério usará uma outra camisa especial, desta vez comemorando o seu jogo 618 pelo São Paulo. Ela terá o número 618, com destaque para o algarismo 1. O clube colocará 618 kits, com a camisa, meião, gorro e agasalho, à venda. Custarão R$ 618 cada um.No campeonato - Os planos de reação do São Paulo no Brasileiro estão indo por água abaixo. Paulo Autuori havia planejado três vitórias desde quarta-feira passada, mas empatou com o Brasiliense e perdeu neste sábado. E ele não terá Lugano e Mineiro contra o Atlético-MG, quarta-feira, em Belo Horizonte. Levaram o terceiro amarelo. "Nosso time se acomodou depois da Libertadores, Mas passou da hora de reagir", disse Diego Tardelli.Souza concorda. "A luz amarela já está acesa. Nós temos obrigação de fazer um bom papel no Brasileiro também. Não é porque ganhamos a Libertadores que vamos deixar de jogar."Do outro lado - Canindé estava muito feliz com o gol feito. "Foi muito difícil, mas quem não tenta não consegue. Eu arrisquei e vencemos o jogo". O goleiro Sílvio Luiz considerou o jogo muito equilibrado. "Só que tivemos sorte no chute de longe do Canindé e ganhamos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.